Após debate, foco da campanha nos EUA volta à economia

A disputa presidencial norte-americana voltou seu foco novamente para a economia na sexta-feira, com cautelosos elogios do republicano John McCain e do democrata Barack Obama ao pacote financeiro aprovado no Congresso.

Reuters |


Depois do "sim" da Câmara à ajuda de 700 bilhões de dólares para o setor financeiro, Obama, em campanha na Pensilvânia, pediu ao governo Bush e especialmente ao secretário do Tesouro, Henry Paulson, que usem sua autoridade com sabedoria e "estruturem a compra desses bens de modo a proteger os contribuintes".

McCain disse que novas ações são necessárias para ajudar a impulsionar a economia em crise. "Esse pacote de resgate não é perfeito. É um insulto que ele seja necessário", disse o senador pelo Arizona a jornalistas. "Nossa economia ainda está machucada, duramente machucada. Mais ações são necessárias e não deveríamos precisar de uma crise para fazer o país agir."

McCain, Obama e seu companheiro de chapa, Joe Biden, todos senadores, votaram na quarta-feira a favor do pacote no Senado. McCain está ansioso para que o assunto suma logo das manchetes, já que a crise financeira ajudou Obama a subir nas pesquisas.

Na noite de quinta-feira, Biden e a candidata republicana a vice-presidente, Sarah Palin, discutiram sobre economia e Iraque durante um debate animado, mas cortês, que teve expressiva audiência nacional de TV.

Pesquisas mostram que Biden foi o vencedor, mas que Palin teve um desempenho respeitável, suficiente para atenuar as críticas à sua escolha.

"Que tal Sarah Palin ontem à noite?", perguntou McCain em Pueblo, no Colorado. "Quase senti um pouco de pena do meu velho amigo Joe Biden. Ela fez um trabalho magnífico."

Tanto McCain quanto Obama prometeram apoio econômico à classe média, depois da divulgação de dados oficiais sobre o fechamento de 159 mil postos de trabalho em setembro - nona redução consecutiva.

Mas eles trocaram farpas sobre assuntos econômicos e se disseram mais bem preparados para tirar os EUA da crise.

"Este país não aguenta o plano do senador McCain para dar à América mais quatro anos das mesmas políticas que devastaram a nossa classe média e nossa economia nos últimos oito", disse Obama em nota, vinculando seu rival ao impopular presidente George W. Bush.

McCain, por sua vez, insistiu nas críticas ao plano de Obama de aumentar o imposto de renda para quem ganha mais de 250 mil dólares por ano, para reduzir os impostos de quem ganha menos.

"Ao contrário do senador Obama, não acredito que vamos criar um só emprego norte-americano aumentando taxas, entrando numa enorme orgia de gastos e fechando mercados", disse McCain em nota.

Biden 3 o vai à guerra

Biden voltou na sexta-feira a Delaware, onde se despediu de seu filho Joseph "Beau" Biden 3 o , de 39 anos, que é membro da Guarda Nacional e passará uma temporada no Texas antes de ser enviado para o Iraque.

"Conforta-nos saber...que vocês são o grupo de soldados cidadãos mais bem preparados que o nosso país e este Estado já enviaram para o perigo", disse o senador por Delaware, que não fez referência ao debate com Palin na véspera.

Durante o encontro, ele acusou McCain de estar alheio às dificuldades econômicas e de não fazer jus ao seu discurso de político independente.

Palin, 44 anos, disse que Obama não saberia trabalhar acima das questões partidárias para promover mudanças e que estaria acenando com uma "bandeira branca da rendição" no Iraque.

Com seu estilo popular e cheio de gírias, que faz a delícia dos programas cômicos de TV, ela prometeu trabalhar com McCain para defender a classe média dos EUA.

Biden, de 65 anos, teve um momento emotivo, engasgando ao lembrar de como criou seus dois filhos sozinho, depois que sua esposa e uma filha morreram num acidente.

As pesquisas mostram que, numa campanha agora totalmente dominada pela economia, Obama solidificou sua liderança nacional e abriu vantagem em Estados estratégicos.

McCain e Obama voltam a se enfrentar num debate na noite de terça-feira em Nashville, no Tennessee, o segundo dos três encontros previstos nesta campanha.

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG