ao contrário do adversário democrata Barack Obama, solicitaria financiamento público para a fase final de sua campanha, que acarreta grandes despesas." / ao contrário do adversário democrata Barack Obama, solicitaria financiamento público para a fase final de sua campanha, que acarreta grandes despesas." /

Ao contrário de Obama, McCain solicitará financiamento público para a campanha

O candidato republicano à presidência americana John McCain anunciou hoje que, http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoeseua/2008/06/19/obama_renuncia_a_financiamento_publico_para_campanha_1374512.html target=_topao contrário do adversário democrata Barack Obama, solicitaria financiamento público para a fase final de sua campanha, que acarreta grandes despesas.

AFP |

"Pegaremos financiamento público", disse ele a jornalistas que o acompanham em Minnesota (norte).

A decisão foi anunciada ao mesmo tempo em que Obama afirmou nesta quinta-feira que não vai utilizar esse tipo de recurso para bancar a campanha, após receber o apoio financeiro de mais de 1,5 milhão de partidários.

"Tomamos a decisão de não participar do sistema de financiamento público para as eleições gerais", disse Obama em mensagem de vídeo para os simpatizantes, não acatando uma promessa do ano passado, de utilizar fundos do Tesouro federal, abrindo a possibilidade de arrecadar quanto dinheiro privado conseguir.

Com o sistema de financiamento público, os candidatos limitam seus gastos em troca dos recursos federais.

O candidato democrata havia prometido, no ano passado, trabalhar "agressivamente" com os republicanos para chegar a um acordo para preservar o sistema de financiamento público.

Contudo, no vídeo, Obama insiste em que esse sistema está "quebrado" e que McCain pode se beneficiar de doações ilimitadas, através do Partido Republicano e de grupos de direito que não estão afiliados diretamente a sua campanha.

Um candidato que recorre ao sistema de financiamento público é obrigado a respeitar um teto nas despesas de cerca de 85 milhões de dólares entre a convenção de seu partido (fim de agosto para o democrata, início de setembro para o republicano) e a eleição de 4 de novembro.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG