WSJ cita Dilma como 'ex-guerrilheira no topo do poder'

Jornal traz uma matéria biográfica de Dilma em uma página no primeiro caderno

Agência Estado |

selo

Uma das manchetes do jornal Wall Street Journal (WSJ) de hoje é "Ex-guerrilheira no topo do poder no Brasil", em referência a uma possível vitória da candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), no primeiro turno, no domingo. Segundo o jornal, até recentemente Dilma era uma burocrata pouco conhecida e agora a economista, de 62 anos, deve conseguir adicionar outro título ao seu currículo, além de guerrilheira de esquerda, presa política e sobrevivente ao câncer: o de primeira mulher presidente do Brasil.

Além da chamada de capa, o jornal dedica praticamente toda uma página no primeiro caderno a Dilma Rousseff, numa matéria biográfica, com fotos até de sua infância e como presa política. De acordo com a matéria, as pesquisas de opinião mostram que Dilma deve ganhar no primeiro turno, mas se houver segundo turno, ainda assim deve sair vitoriosa.

Na capa do jornal, o texto traz ainda que Dilma, que já se divorciou duas vezes e é mãe de uma filha, passou por uma repaginada nos últimos dois anos, que incluiu cirurgia plástica, uso de lentes de contato no lugar dos óculos e estilo de corte de cabelo mais parecido com o de uma âncora de TV do que com o de uma ex-revolucionária.

Segundo o WSJ, Dilma também tem mostrado pouco interesse em avançar em reformas estruturais e ressalta que há críticas em relação à sua falta de experiência para exercer um cargo tão importante. O jornal destacou ainda que recentemente levantou-se dúvidas em relação à sua integridade por causa do escândalo envolvendo Erenice Guerra, sua ex-assessora na Casa Civil e que assumiu a pasta no lugar da petista quando ela se candidatou à Presidência, mas que Dilma negou qualquer envolvimento.

    Leia tudo sobre: eleições dilmaWSJ

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG