Wagner tenta desqualificar adversários e pede 'eleição limpa'

Na avaliação do governador e candidato à reeleição, seus concorrentes 'só falam mal da Bahia'

Lucas Esteves, iG Bahia |

Líder nas pesquisas e principal alvo dos adversários, o governador Jaques Wagner, candidato à reeleição pelo PT, montou uma propaganda em que tenta desqualificar a atitude dos rivais, acusando-os de falar mal da Bahia. A estratégia foi batizada “movimento por uma eleição limpa”.

Na propaganda eleitoral gratuita, a coligação do governador pergunta ao eleitor se este votaria em um candidato que só fala mal da Bahia e, logo após, lança o lema do “movimento”. A propaganda sustenta que a continuidade do trabalho é a melhor opção para os eleitores. O governador sustenta que os primeiros anos da gestão foram organizacionais e a reeleição permitirá um maior desenvolvimento do estado sob sua batuta. Os principais alvos da publicidade são Paulo Souto (DEM) e Gedddel Vieira Lima (PMDB).

O primeiro, que aparece como vice-líder da corrida estadual, alega são fictícios muitos dos números que Wagner apregoa como evoluções em programas sociais. Também ataca o volume de verbas que a gestão Wagner utilizou no último ano apenas com fins publicitários. Em 2009, o Governo do Estado investiu R$ 108 milhões em propaganda e apenas R$ 26,6 milhões em Segurança Pública.

Já Geddel Vieira Lima questiona a lentidão com que Wagner realiza obras e estabelece acordos comerciais para trazer empresas para o estado. Assim, criou propagandas em que chama o eleitor para “colocar esta preguiça para correr” e, esta semana, introduziu um novo conceito. Para Geddel, quatro anos de governo é muito para quem tem vontade de fazer.

    Leia tudo sobre: eleições bawagnerpropaganda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG