Votos das classes mais pobres fazem a diferença na Bahia

Wagner busca consolidar vantagem entre os eleitores com renda de até cinco salários mínimos

Lucas Esteves, iG Bahia |

A insistência de mostrar ao eleitor mais pobre os avanços sociais e materiais do Governo da Bahia tem se mostrado uma estratégia acertada para o candidato à reeleição Jaques Wagner (PT). De acordo com dados das últimas pesquisas Datafolha, a parcela do eleitorado em que o petista tem alcançado maior ascensão é exatamente entre os que têm renda familiar mais baixa.

Das consultas de julho e agosto, o governador cresceu de 41% para 46% de preferência entre os baianos que ganham até dois salários mínimos. Já entre quem fatura entre dois e cinco salários, Wagner foi ainda mais longe e saltou de 46% para 52%. Nas mesmas parcelas, Paulo Souto (DEM) caiu de 24% para 23% e 24% para 22%, respectivamente. Geddel Vieira Lima perdeu votos na primeira (17% a 14%) e conseguiu outros na segunda (8% para 11%).

O único segmento socioeconômico em que Wagner perde é entre os que têm renda acima de cinco salários. Neste cenário, o governador cai de 60% para 47%, enquanto Souto tem a maior evolução, de 25% para 22% e Geddel sobe de 8% para 11%.

    Leia tudo sobre: eleições bajaques wagneranálise

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG