Votação biométrica brasileira interessa a outros países

Sistema que o Brasil testa pela segunda vez nas eleições deste ano deverá ser exportado, adianta presidente do TSE

Lauriberto Braga, iG Ceará |

A votação biométrica (pela impressão digital) que o Brasil testa pela segunda vez nas eleições deste ano vai ser exportada. "Alguns países já demonstraram interesse em conhecer nossa tecnologia", revelou hoje em Fortaleza, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski.

Mas ele ainda não tem previsão de quando, aqui no Brasil, toda a eleição seja feita pelo método biométrico. "Trata-se de um custo bastante alto e não podemos precisar datas, mas já este ano mais de um milhão de eleitores votarão sem necessidade do título e carteira de identidade com foto, em 60 municípios de vinte e três Estados". O primeiro teste, nas eleições de 2008, ocorreu em apenas três municípios.

Lewandowski, em entrevista coletiva em Fortaleza, afirmou que as eleições de 2010 serão as mais avançadas tecnologicamente, o que ampliará a segurança no pleito. "Temos uma eleição toda em urna eletrônica, testada contra fraudes. A nossa informática é relevante e nesta eleição estamos avançando tecnologicamente, e o melhor, racionando custos", informou.

    Leia tudo sobre: eleiçõeslewandowskivotação biométrica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG