Volta à TV mostra PT e PSDB enquadrados por discurso religioso

Progranda eleitoral gratuita foi retomada hoje para o segundo turno da disputa presidencial

Daniela Almeida, iG São Paulo |

A retomada do horário eleitoral gratuito na televisão mostrou que as campanhas presidenciais de Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) deram a largada no segundo turno enquadradas pelo discurso religioso.

Cercada por rumores sobre seu posicionamento em relação ao aborto, Dilma abriu seu programa na televisão na tarde desta sexta-feira com um agradecimento a Deus. Já Serra destacou seu comprometimento com "valores cristãos". 

"Quero começar este segundo turno agradecendo a Deus por ter me concedido uma dupla graça. Ter sido a candidata mais votada no primeiro turno e ter a oportunidade agora de discutir melhor minhas propostas e me tornar ainda mais conhecida", afirmou Dilma, no vídeo.

nullAo fim do horário reservado à petista, foram exibidas fotos que pontuavam a história de vida e destacavam o papel da candidata como mãe, avó e mulher. Na sequência, uma apresentadora afirmou que a internet tem sido usada para espalhar anonimamente mentiras contra Dilma. “Não acredite neles, Dilma é uma mulher honesta, que respeita a vida e as religiões.”

Um depoimento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerra o programa rebatendo as mesmas acusações.

"Eu estou vendo acontecer com a Dilma o que aconteceu comigo no passado", disse o presidente, na mesma fala usada pela manhã no programa de rádio petista.

Serra replicou a mesma questão em seu programa eleitoral gratuito. “Eu quero ser um governador com postura, que defenda os valores cristãos”, disse o candidato. O programa fez uma comparação direta entre a biografia do tucano e da petista, mostrando fotos da história do candidato.

null“Este é José Serra, que sempre condenou o aborto e defendeu a vida”, apresentou a voz de um locutor. Logo depois, em um estúdio, várias mulheres grávidas acariciavam suas barrigas enquanto uma voz ao fundo dizia: “A favor da vida e a favor do Brasil”. Serra pela primeira vez usou, ainda, imagens do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Os dois candidatos usaram também depoimentos de governadores e senadores eleitos, em um esforço para mostrar que têm forte apoio político nos estados.

“Serra tem história, ele sabe fazer”, defendeu o senador eleito por Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral no país, Aécio Neves (PSDB). “Depois de um operário, o Brasil e o Rio de Janeiro vão eleger Dilma presidente”, afirmou Sérgio Cabral (PMDB-RJ).

    Leia tudo sobre: Eleições SerraPleito 2010Eleições Dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG