Virgílio diz que não acredita na pesquisa CNT/Sensus

Líder do PSDB no Senado afirma que pesquisas encomendadas pelo partido mostram Serra com 4 pontos à frente de Dilma

Agência Estado |

selo

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), afirmou hoje, ao deixar o plenário da Casa, que não acredita na pesquisa CNT/Sensus porque considera os resultados desse instituto "muito disparatados em relação aos outros". Segundo ele, pesquisas internas encomendadas pelo PSDB apontam o tucano José Serra com ligeira vantagem de quatro pontos porcentuais à frente da candidata petista, Dilma Rousseff .

"Se me disserem que Dilma está empatada com Serra, eu acredito, ou que ela está um pouco atrás, ou até um pouco à frente dele, eu também acredito. Mas não acredito numa diferença muito grande de pontos", concluiu o tucano. Mais cedo, o presidente do PSDB e coordenador da campanha tucana, senador Sérgio Guerra, escreveu em seu Twitter que não comentaria o resultado do instituto Sensus porque "eleição é coisa séria".

Debate

Virgílio afirmou, ainda, não descartar a hipótese de que a pesquisa CNT/Sensus, que abriu dez pontos porcentuais de vantagem para Dilma Rousseff, tenha sido divulgada hoje para favorecê-la no debate dos presidenciáveis que a TV Bandeirantes realiza às 22 horas. "Os mais maliciosos diriam que essa pesquisa foi divulgada hoje para dar uma forcinha para a candidata no batismo de fogo dela", afirmou o líder tucano.

Virgílio explicou que não integra a comitiva de aliados que vai acompanhar o debate nos estúdios da Band, em São Paulo, porque precisa se dedicar à sua campanha à reeleição no Amazonas. Ele qualificou o debate desta noite como uma "prova de fogo" para Dilma, porque, pela primeira vez, ela não estará sozinha como nas sabatinas com jornalistas, ou treinando falas com assessores e marqueteiros. "Ela vai enfrentar a Marina Silva , candidata do PV, que é uma senadora tarimbada, e o Serra, que é um excelente debatedor", argumentou.

    Leia tudo sobre: pesquisaeleições serraeleições dilmacnt/sensusdebate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG