Vice de Perillo diz que questões pessoais não afetarão chapa

Em Goiás, José Eliton elogia neutralidade de Ronaldo Caiado, presidente estadual do DEM, em relação à campanha do desafeto tucano

Gustavo Martins, iG Goiás |

Indicado a vice-governador de Marconi Perillo (PSDB) pelo DEM , o advogado José Eliton afirmou nesta quinta-feira, dia 1º de julho, em entrevista ao iG que não deixará que questões pessoais entre o presidente dos DEM goiano, o deputado federal Ronaldo Caiado, e o candidato tucano, afetem a chapa, sua participação na campanha e possível governo do tucano. "Chegou o tempo da coerência nos partidos políticos. Não é possível apoiarmos alguém nacionalmente e destoarmos no âmbito regional", afirmou.

Eliton disse, na entrevista, ter ficado muito feliz com a indicação e afirmou que lutará pelo devido respeito ao DEM. "Todos os partidos devem ser respeitados e ouvidos como parceiros em uma coligação", completou. O democrata elogiou, ainda o posicionamento neutro de Caiado com relação à campanha.

Ronaldo Caiado, afirmou na madrugada desta quinta-feira, via Twitter , que não subirá no palanque do PSDB em Goiás nesta eleição, apesar de acatar a decisão de seu partido. Caiado, que sairá candidato a deputado federal, disse ainda através do microblog, que fará campanha solo. “Deixei claro aos meus amigos de Democratas que não atrapalharia a coligação, mas que decidi pela neutralidade nessas eleições em Goiás”, disse.

José Eliton, que compartilha deste pensamento, disse que a decisão do partido foi tomada de forma democrática. " A posição dele (Caiado) é correta por ser transparente. Ele agiu como um estadista ao fazer da decisão de aliança algo democrático", completou.

Caiado reiterou ser contrário à decisão de se aliar ao candidato tucano, Marconi Perillo, com quem tem desavenças pessoais e políticas. “Não retiro nada do que disse na época em que o nosso partido foi atacado e dilacerado pelo PSDB em Goiás”, afirmou Caiado. Em tom de ameaça, o presidente regional do DEM deixou um aviso aos tucanos: “Se o PSDB ou qualquer outro partido se atrever a atacar nossas bases ou perseguir qualquer filiado, entrarei com tudo. Qualquer sinal de perseguição eu vou para a luta, defender filiados, Democratas, amigos. Exigimos respeito. Devemos ser tratados como aliados.”

O DEM fez parte da base aliada que ajudou a eleger Perillo governador de Goiás em 1998, ainda com o nome de PFL. Após desentendimentos entre os então aliados, o PFL Goiano sofreu um êxodo de mais de uma dúzia de prefeitos e lideranças do partido, que migraram para o PSDB influenciados por Macorni Perillo, isolando Caiado.

O deputado revelou que o senador Demóstenes Torres, que sairá candidato à reeleição no Senado, disse a ele na manha da última quarta-feira, 30, que não se sentia seguro em outro palanque. “Eu disse a Demóstenes que não tenho o direito de prejudicar a sua candidatura à reeleição e que a prioridade seria ele”, completou.

    Leia tudo sobre: goiásMarconi PerilloJosé ElitonRonaldo Caiado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG