Ao votar em faculdade de São Paulo, deputado despistou ao falar de possível participação de PMDB no governo

Candidato à vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff (PT), o deputado federal Michel Temer, presidente nacional do PMDB, votou na manhã deste domingo na Pontifícia Universidade Católica (PUC), na capital paulista. Na esquina a poucos metros dali, militantes acenavam com bandeiras do partido.

Temer chegou sozinho ao local de votação, para depois ser cercado por assessores e seguranças. Antes de entrar em sua seção eleitoral, desligou o celular, que tocava, insistente. "Deve ser alguém pra desejar sorte na última hora."

Aos jornalistas, o candidato afirmou crer que a eleição para presidente vá se encerrar em primeiro turno – "o otimismo continua igual". Uma surpresa nas urnas, no entanto, não seria um anticlímax para a campanha. "Eleição é assim mesmo", garantiu, sem declarar preferência por oponente num possível segundo turno, se José Serra (PSDB) ou Marina Silva (PV). "Não vou falar sobre possibilidades, deixem que as urnas digam."

A ideia de vitória neste domingo também parece ser compartilhada pelos eleitores. Assistindo à movimentação em torno de Temer, uma criança perguntou ao pai quem era "aquele homem". "É o vice-presidente", ele respondeu.

Com relação à participação do PMDB em um eventual governo do PT, o candidato afirmou que só sabe do papel de seu partido na eleição. "Num eventual governo, vamos sentar e verificar como o partido pode colaborar. Nós vivemos em um regime presidencialista e quem decide isso é o presidente", disse.

Temer afirmou que o PMDB trabalha com a ideia de eleger entre 94 e 100 deputados para a bancada. A presidência da Câmara, segundo ele, deve ser dividida entre PT e PMDB, como nos últimos quatro anos. "Penso eu que será um biênio para cada partido, PT e PMDB. Essa fórmula deve se repetir."

O deputado vai almoçar com a família em casa, no bairro de Alto Pinheiros, e à tarde viaja para Brasília, onde acompanhará a apuração ao lado de Dilma, no comitê da campanha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.