Veja a evolução dos partidos políticos brasileiros desde 1994

Infográfico mostra como as legendas conquistaram ou perderam espaço no Congresso, assembleias e governos estaduais

iG São Paulo |

O iG estreia nesta terça-feira um infográfico que apresenta a evolução dos partidos políticos brasileiros entre os anos de 1994 e 2006, ou seja, nas últimas quatro eleições. Com um sistema de navegação simples, é possível passear no tempo e perceber a força eleitoral das agremiações partidárias no Senado Federal, na Câmara dos Deputados, nos governos estaduais e nas Assembleias Legislativas ao longo desse período.

Com essa nova ferramenta, pode-se visualizar e comparar o desempenho dos nove partidos com representação estadual ao longo do anos, classificados separadamente, e de outras onze agremiações reunidas em um único grupo. É possível visualizar todos os partidos de uma só vez, ou selecionar a pesquisa por sigla. O usuário arrasta o mouse pela linha do tempo (logo abaixo à imagem principal) e pode ver a movimentação dos partidos ao longo dos anos.

O que os dados mostram

Chama a atenção o crescimento da participação do PSDB e do PT na Câmara dos Deputados nos anos de 1998 e 2002, respectivamente. Os tucanos evoluíram com a reeleição de Fernando Henrique Cardoso. De 63 deputados federais eleitos em 94, o PSDB passou a ter 99 representantes em 1998. Os petistas aumentaram bastante o número de deputados com a primeira eleição de Luiz Inácio Lula da Silva para a Presidência da República, passando de 59 eleitos em 1998 para 91 representantes no ano de 2002.

Já o PFL, que foi batizado de DEM em 2007, viu sua bancada federal reduzir drasticamente de 1998 para 2006, quando o número de representantes eleitos para a Câmara dos Deputados caiu de 105 para 60. No Senado, no entanto, o PFL/DEM manteve sua força no mesmo período, subindo de 16 para 20 senadores.

Nos governos estaduais e nas Assembléias Legislativas, nota-se a força do PMDB. O partido tinha nove governadores em 1994, depois perdeu espaço em 1998 e em 2002, quando elegeu cinco peemedebistas, mas voltou a crescer em 2006 com sete governadores. Nas Assembléias Legislativas, caiu de 205 deputados em 1994 para 130 no ano de 2002, mas cresceu para 161 em 2006, mantendo-se como o partido com o maior número de deputados estaduais no País.

Já o PFL/DEM, que chegou a ter sete governadores eleitos em 1998, conseguiu eleger apenas um em 2006. Enquanto isso, o PT subiu de um governador em 1994 para cinco governadores em 2006. E o PSDB manteve a estabilidade, entre seis e sete governadores eleitos a cada período eleitoral.

Entre os partidos menores, também chama a atenção a evolução do PPS nas Assembléias legislativas. Em 1994, o partido elegeu apenas três deputados em todo o País. Mas em 2002 esse número já estava em 40. O PSB também viu crescer de forma substancial sua representação nos legislativos estaduais, passando de 33 deputados em 1994 para 59 representantes eleitos em 2002 e 2006. Os números dos chamados “partidos nanicos” também evidenciam sua força nas casas legislativas, embora tenham perdido representação nos governos estaduais nas duas últimas eleições.

*Colaborou Mario Rocha, iG São Paulo

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG