Tucanos defenderam mudança na regra do debate

PSDB considera que candidato tucano foi prejudicado pela regra que o próprio partido defendeu durante organização do debate

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Um integrante da campanha do tucano Geraldo Alckmin ao governo de São Paulo confirmou ao iG que o PSDB defendeu a mudança na regra do debate da Band que limitou o número de perguntas a duas para cada candidato. A regra foi contestada pelo próprio Alckmin ao final do debate por ter permitido que os adversários o atacassem sem que ele pudesse se defender.

“Tudo na vida tem o lado bom e o lado ruim”, disse o integrante da campanha tucana.

Segundo ele, PSDB, PV e PSOL defenderam a regra para que o debate não ficasse restrito apenas aos líderes das pesquisas de opinião.

Por outro lado, PT, PP e PSB solicitaram a manutenção da regra usada no debate dos presidenciáveis, no qual não houve limite de perguntas. O objetivo era colocar Alckmin, líder folgado nas pesquisas, contra a parede.

O integrante da campanha do PSDB concordou que a limitação permitiu que Aloizio Mercadante (PT), Paulo Skaf (PSB) e Celso Russomanno (PP) atacassem os governos tucanos sem que Alckmin pudesse se defender, mas admitiu que em alguns momentos o candidato se aliou ao ex-tucano Fabio Feldmann (PV) para colocar em prática a mesma estratégia.

“Também teve tabelinha do lado de cá”, disse o tucano.

    Leia tudo sobre: Eleições SPdebateband

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG