Tucanos de Minas querem Aécio no comando do PSDB agora

Estratégia é levar Aécio Neves a disputar a Presidência da República em 2014

Adriano Ceolin, enviado a Belo Horizonte |

O projeto Aécio Neves-2014 vai começar mais rápido do que se tem dito oficialmente. O PSDB de Minas Gerais dá início hoje mesmo às estratégias para transformar o ex-governador e atual senador eleito o candidato dos tucanos ao Palácio do Planalto.

A reportagem do iG acompanhou os dois turnos da eleição em Minas Gerais e, no fim da noite de domingo, ouviu de um importante dirigente do partido que o primeiro passo do projeto Aécio-2014 é levá-lo à Presidência do PSDB.

AE
Em Belo Horizonte (MG), Aécio Neves vota no segundo turno
Segundo esse mesmo dirigente, o plano inicial de Aécio não era assumir o comando do partido agora. No entanto, diante do desempenho de Dilma Rousseff (PT) lançada em 2007, avalia-se como fundamental dar visibilidade para que Aécio possa trilhar seu caminho para a Presidência da República.

O próprio Aécio disse, neste domingo, que vai tirar apenas 10 dias de descanso. Ao voltar, pretende dar início a conversas com governadores e congressistas eleitos para negociar o lançamento de uma "agenda para o Brasil". Desvinculado do Executivo, o documento reuniria uma série de propostas.

Os tucanos mineiros querem dar à Executiva do PSDB um caráter mais nacional. Para eles, o poder do partido é demasiadamente concentrado em São Paulo. E isso foi um dos motivos que provocaram a derrota de Serra neste domingo.

O PSDB mineiro não vê o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, como adversário de Aécio, mas teme como será a postura de Serra após a eleição. Até agora não se faz ideia de qual será o futuro do candidato derrotado.

Os tucanos mineiros também ainda não conseguiram dimensionar como é, verdadeiramente, a aliança entre Alckmin e Serra. Isso é importante para saber se o grupo serrista poderá ser acomodado no governo de São Paulo.

Gestos e palavras

De qualquer forma, José Serra , em seu discurso de fim de campanha, fez questão de elogiar Alckmin. Por outro lado, o candidato derrotado do PSDB não fez nenhum comentário sobre Aécio.

Já o senador eleito de Minas Gerais sequer apareceu para comentar o segundo turno. Preferiu apenas divulgar uma nota à imprensa em que elogiou a postura de Serra. “Teve um excepcional desempenho durante toda a campanha eleitoral”, disse.

Apesar de terem trocado afagos no sábado, quando fizeram a última atividade de campanha juntos em Minas Gerais, Serra e Aécio nunca tiveram muita afinidade. Essa é análise de um dirigente tucano.

Segundo esse mesmo dirigente, Serra nunca assumiu um compromisso claro com Aécio sobre 2014. Ao mesmo tempo, o ex-governador mineiro só esforçou para ajudá-lo na campanha de segundo turno. Na primeira etapa, o foco era eleger Antonio Anastasia governador de Minas.

Quem resolveu desnudar as intrigas entre o PSDB paulista e mineiro foi Xico Graziano, coordenador do programa de governo de José Serra. “Perdemos feio em Minas. Por que será?”, ironizou.

Menos de uma hora depois da publicação do comentário de Graziano, o presidente do diretório regional do PSDB, deputado Nárcio Rodrigues (MG), contra atacou Graziano. “É uma pena que continue faltando a alguns a humildade e a solidariedade que a atividade política tanto precisa”, disse.

Na manhã desta segunda-feira, Xico Graziano, via Twitter, fez um mea-culpa e disse que não quis atingir Aécio. "Estranhou-me o resultado em Minas, padrão Nordeste. Mas não culpo Aécio. Todos somos responsáveis pela derrota", disse.

Graziano tentou amenizar a discussão com Nárcio Rodrigues: "Mineiro manhoso, me puxa as orelhas. Tudo bem, meu amigo. Bola pra frente", finalizou.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições serraaéciopsdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG