Tucano e petista discordam sobre ausência de Mercadante no Senado

Alckmin mostrou petista admitindo que faltou à sessão no Senado em que seriam aprovadas verbas para o transporte paulistano

Ana Paula Prado, iG São Paulo |

Os programas eleitorais dos principais candidatos ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e Aloizio Mercadante (PT), discordaram sobre a participação ou não do petista em sessão do Senado em que foram aprovadas verbas para a expansão do transporte paulistano.

Alckmin utilizou vídeo com discurso em plenário do senador Mercadante, em que petista anuncia sua ausência na sessão do dia 08 de maio de 2008. “Eu só queria registrar em plenário que eu não pude estar presente na oportunidade”. O petista se defendeu ao mostrar imagens da TV Senado em que o presidente da sessão em questão, Romeu Tuma (PTB), disse que Mercadante “se desdobrou para aprovar os empréstimos”.

O candidato petista afirmou ainda que se ausentou em sessões citadas pelos tucanos “duas vezes por licença médica e uma por causa da abertura de sua campanha”. Mercadante afirmou que seu adversário usou “de uma tática rasteira, pois os empréstimos foram aprovados por votação simbólica através de acordos de lideranças antes da votação”.

Já Alckmin utilizou o restante do seu programa para mostrar obras do PSDB ao longo de 16 anos de gestão em São Paulo e enfatizou que algumas delas foram realizadas por José Serra, hoje candidato do partido à Presidência da República. A narração ao final diz que “São Paulo avançou com Serra e com Geraldo vem mais por aí”.

Fabio Feldmann, do PV, defendeu a segurança como base de seu governo, dizendo que implantará uma política de “tolerância zero” para combater o crime organizado e tráfico de drogas.

Senado

Orestes Quércia, ex-candidato ao Senado pelo PMDB, apareceu no programa de Romeu Tuma apoiando o candidato do PTB. Alckmin também participou da peça eleitoral de Tuma para apoiá-lo. Marta Suplicy (PT) reprisou programa em que aparece “dialogando” através de truques de edição com o presidente Lula; Netinho de Paula (PCdoB) mostrou Lula pedindo votos para ele em comício e disse, ao final, que “quer levar o exemplo do presidente para o Senado”; Ricardo Young, do PV, argumentou que “tragédias climáticas afetam os mais pobres” e que essa questão deve ser considerada na hora do voto; e Aloysio Nunes (PSDB) apresentou seu suplente, Airton Sandoval, afirmando que ele é “quercista”.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG