TSE nega liminar a Garotinho

Ministro responsável por julgar o pedido preferiu aguardar novo julgamento do TRE-RJ, na próxima segunda-feira

Flávia Salme, especial para o iG Rio de Janeiro |

O ministro Marcelo Ribeiro, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou nesta terça-feira o pedido de liminar do ex-governador Anthony Garotinho. Em seu despacho, ele explicou que vai aguardar o novo julgamento do TRE-RJ, marcado para segunda-feira (28), que vai decidir se aceita o embargo de declaração à decisão que suspendeu os diretos políticos de Garotinho até 2011.

"Decido, tendo em vista o ofício encaminhado pelo TRE-RJ, aguardar o julgamento. Levando em conta que o registro da candidatura se dá em 5 de julho, penso não ser o caso de concessão de liminar", escreveu Ribeiro em seu despacho.

A decisão do TRE-RJ de acelerar o julgamento foi anunciada, por um fax, minutos antes de o pedido de liminar ser julgado pelo TSE. O juiz relator dos processo, Luiz Márcio Pereira, justificou ter antecipado o julgamento "para evitar possíveis prejuízos aos candidatos, uma vez que o prazo das convenções partidárias encerra-se dia 30 de junho".

Para a defesa de Garotinho, a decisão do tribunal regional não passa de uma manobra para impedir o ex-governador de se candidatar. "O fim do prazo para o registro se aproxima e isso faz aumentar a aflição. Numa decisão no mínimo inusitada, o TRE-RJ antecipa o julgamento e comunica ao TSE por fax. Mas estamos confiantes na vitória", disse o advogado Jonas Lopes Neto.

Na próxima segunda-feira, às 9h, o TRE-RJ vai decidir sobre os embargos apresentados por Garotinho, pela prefeita de Campos dos Goytacazes ( Norte Fluminense ), Rosinha Garotinho, e pelo candidato derrotado na disputa com Rosinha, em 2008, Arnaldo Vianna.

Os três foram tornados inelegíveis por propaganda extemporânea e abuso de poder econômico. Rosinha teve o mandato cassado, mas recorreu, o que a permite ficar no cargo até o julgamento final.

O recurso de Garotinho, porém, não tem efeito suspensivo. Portanto, ele fica inelegível, a não ser que o TRE-RJ vote favorável ao embargo de declaração, ou o TSE suspenda o julgamento do tribunal regional.

Prazo final

Aliados de Garotinho afirmam que o político está sendo alvo de uma conspiração para tirá-lo da disputa ao governo do Rio de Janeiro. Com a demora da decisão que pode autorizá-lo a participar do pleito, as chances de consolidar alianças políticas se esgotam.

Mas o ex-governador ainda aposta em uma chapa com o PRB, do senador Marcello Crivella, que concorre à reeleição. "Estão tentando sangrar o Garotinho, mas a candidatura dele é certa. A aliança com o PRB está praticamente fechada", afirmou o deputado federal Geraldo Pudim, coordenador da pré-campanha. "A escolha do vice é uma questão de conjuntura, diante do novo quadro com o aliado", contou.

Crivella preferiu não comentar sobre a possível aliança.

    Leia tudo sobre: garotinhorosinhatre-rjtse

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG