TSE mantém Rocha inelegível e eleição do Pará deve acabar no STF

Rocha e Barbalho, barrados pela Justiça, tiveram 57% dos votos. A depender da decisão do STF Pará pode ter nova eleição

Severino Motta, iG Brasília |

Por cinco votos a dois os ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mantiveram o veto à candidatura de Paulo Rocha (PT) ao Senado do Pará. Considerado um ficha suja, o petista foi o terceiro mais votado na eleições em seu Estado.

Com a decisão, Rocha deve recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde desde esta tarde há um recurso de outro paraense: Jader Barbalho (PMDB). Juntos, os políticos receberam 57% dos votos. Como foram considerados fichas sujas, os sufrágios estão suspensos.

Se venceram no STF, os votos serão considerados válidos e Jader, segundo colocado, deve assumir uma vaga no Senado. Se não, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) terá de dar uma primeira palavra sobre a realização de nova eleição para o Senado no Estado, uma vez que mais da metade dos votos (57%) serão considerados nulos.

Jader e Rocha foram barrados pela Justiça Eleitoral com base na Ficha Limpa. Os dois renunciaram ao um mandato – o primeiro no Senado e o segundo na Câmara – para evitarem processos de cassação, o que é proibido pela nova lei.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições paficha limpajaderrocha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG