TSE mantém direito de resposta do PT em site do PSDB

Vice de Serra, Índio da Costa, em entrevista a site tucano, ligou o PT às Farc e ao narcotráfico; ação gerou direito de resposta

Severino Motta, iG Brasília |

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negaram recurso do PSDB e mantiveram o direito de resposta do PT num site ligado à campanha tucana. A ação inicial foi movida pelos petistas após o vice de José Serra, Índio da Costa (DEM), ter dado vinculado o partido dos trabalhadores às Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (Farc) e ao narcotráfico.

Com a decisão, o PT poderá veicular um texto no site "Mobiliza PSDB" pelo prazo de 10 dias. Na resposta, que também foi aprovada pelo pleno do TSE, o PT não cita e nem nega o vinculo com as Farc , limitando-se a dizer que a agremiação é contra o terrorismo e o tráfico de drogas.

Durante o julgamento, a defesa do PSDB argumentou que os prazos para o pedido de direito de resposta não foram cumpridos e que não caberia ao PT, mas sim à candidata a presidente, Dilma Rousseff, pedir a reparação.

O relator da matéria, Henrique Neves, entendeu que o ataque a uma coligação fere os partidos que dela participam, bem como o candidato. O mesmo serve para o ataque a candidatos, que ferem também os partidos da coligação.

Nessa linha de raciocínio, Neves disse que não caberia somente a Dilma pedir o direito de resposta, mas a qualquer um dos partidos aliados. O ministro ainda ponderou que, apesar da entrevista de Índio ter sido feita por vídeo veiculado no Mobiliza PSDB, não cabe o prazo limite de três dias – como é no caso da televisão – para que um pedido de resposta seja apresentado à Justiça.

    Leia tudo sobre: PSDBPTTSEdireito de resposta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG