TSE lacra sistemas eleitorais com assinatura digital

Sistema para de funcionar se detectar qualquer tipo de fraude

Agência Brasil |

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terminou nesta quinta-feira (2) de lacrar os sistemas eleitorais que serão usados nestas eleições. O objetivo é dar mais segurança ao processo eleitoral, uma vez que os softwares foram assinados digitalmente para evitar fraudes. Caso haja fraude em uma assinatura, o sistema para de funcionar.

Cada Tribunal Regional Eleitoral receberá uma cópia da mídia com os sistemas. Os programas só funcionam nos computadores da Justiça Eleitoral e são ativados por senhas geradas pelo TSE. Dessa forma, mesmo que sejam interceptados, não há possibilidade de instalação dos arquivos em outras máquinas.

Os sistemas contêm dados como foto, nome e número dos candidatos. Caso haja dúvida sobre a autenticidade de programação de qualquer urna, os dados podem ser confrontados no próprio TSE. Isso porque o Tribunal também fica com uma cópia da mídia encaminhada aos tribunais regionais eleitorais.

Os programas foram assinados digitalmente pelo presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e pelo advogado Francisco Caputo Neto, representando a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O objetivo da cerimônia de lacre é testar, publicamente, a autoria, a autenticidade e a integridade dos programas eleitorais. Todos os sistemas foram elaborados pelo TSE, mas puderam ser auditados e checados pelos partidos políticos e interessados.

    Leia tudo sobre: eleiçõesurna

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG