Ex-governadora do DF teve sua candidatura ao Senado barrada pela Lei da Ficha Limpa

A ex-governadora do Distrito Federal, Maria de Lourdes Abadia (PSDB), teve sua candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa. Ela foi condenada por compra de votos em 2006, quando tentou, sem sucesso, a reeleição ao Palácio Buriti.

Devido à condenação, o TSE aplicou à tucana a pena de oito anos de inelegibilidade, como conta na Ficha Limpa, impedindo-a de se candidatar até 2014. Cinco ministros foram favoráveis à aplicação da pena. Dois – Marco Aurélio Mello e Marcelo Ribeiro - optaram por liberar a candidatura.

Com a impugnação da candidatura de Abadia, a chapa encabeçada por Joaquim Roriz (PSC) ao governo do Distrito Federal sofre um novo revés. Das candidaturas majoritárias, somente a de Alberto Fraga (DEM), ao Senado, não foi barrada pela Justiça Eleitoral.

Para manter sua candidatura, Abadia terá que recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.