Tríplice aliança agora depende de Moreira e Colombo

Acordo parece distante, apesar de vontade de Serra

Gabriel Costa, iG Brasília |

A formalização de uma chapa única composta pela tríplice aliança de PMDB, DEM e PSDB nas eleições para o governo de Santa Catarina já parece menos provável, e um cenário com três candidaturas separadas ganha vulto no estado. Um possível acordo agora está nas mãos do peemedebista Eduardo Pinho Moreira e de Raimundo Colombo, do Democratas, mas o primeiro reafirmou hoje que sua candidatura é irreversível, enquanto Colombo continua a cumprir intensa agenda na região, sem dar indicações de desistência.

O atual governador do estado e pré-candidato à reeleição pelo PSDB, Leonel Pavan, sinalizou que estaria disposto a abrir mão da reeleição se um dos outros dois pré-candidatos fizer o mesmo, em encontro dos três com o tucano José Serra, em São Paulo, na noite de ontem. Após o encontro, Pavan disse que o presidenciável tucano manifestou preferência por um palanque único, mas que existe até a possibilidade das três candidaturas o apoiarem separadamente.

“O que eu gostaria mesmo é que os três estivessem juntos. Nessa história, sabemos que a indefinição não é do PSDB”, destacou Pavan. O encontro, que estava originalmente marcado para segunda-feira, teve início por volta das oito e meia da noite, na casa de Serra. A expectativa agora é que Moreira e Colombo marquem novo encontro para discutir o futuro da aliança.

Já o PDT catarinense lançou a pré-candidatura do deputado estadual - e sargento da policial militar - Amauri Soares ao governo do estado, em evento em Florianópolis. Soares declara apoio à petista Dilma Roussef na corrida para a presidência, e pretende fechar alianças com PV, PCB e PSOL.

Já no Rio Grande do Sul, PTB, DEM e PPS esperam uma resposta de Serra à proposta de um segundo palanque para o tucano no estado, após reunião do presidente regional do Democratas, deputado federal Onyx Lorenzoni, com Sérgio Guerra e Rodrigo Maia, líderes nacionais do PSDB e do DEM para discutir o assunto. Caso haja de fato interesse na aliança, Serra deve se reunir com representantes dos três partidos na semana que vem.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG