TRE-SP critica lentidão do Supremo na impugnação de candidatos

265 urnas eletrônicas, ou 0,28% do total, foram substituídas. Estado teve 12 prisões eleitorais

Daniela Almeida e Marina Gazzoni, iG São Paulo |

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE)-SP, Walter de Almeida Guilherme, criticou a lentidão do Supremo Tribunal Federal (STF) para julgar os casos de impugnação de candidaturas por causa da Lei Ficha Limpa. “O ideal seria que todos os recursos sobre o registro de candidatos tivessem sido julgados antes das eleições, para que ninguém perca o seu voto”, disse.

Segundo Guilherme, os candidatos com recursos em julgamento concorrem normalmente no pleito. Se a candidatura for considerada inválida, os votos serão anulados. Nas situações de candidaturas validadas pela Justiça, os votos do político julgado serão computados e o coeficiente eleitoral terá de ser recalculado. O TRE também informou que 265 urnas eletrônicas, ou 0,28% do total, foram substituídas no Estado de São Paulo, 64 delas na capital.

“Algum erro vai existir sempre”, disse Guilherme. Ao todo, foram registradas 141 ocorrências e 12 prisões no Estado, por crimes de boca de urna, transporte de eleitores e divulgação de propaganda eleitoral. A expectativa do TRE é que entre 85% e 90% dos votos em São Paulo sejam apurados até a meia-noite.

Sobre a exigência dos documentos para a votação, ele afirmou que a decisão recente do STF não causou problemas significativos nas zonas eleitorais. “Quem estava sem o título pode votar. Mas quem estava sem documento com foto não votou.”


    Leia tudo sobre: treeleições sp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG