TRE-SP barra candidatura de Maluf com base na Lei da Ficha Limpa

Candidatura foi barrada por quatro votos a dois; Maluf vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral

Andréia Sadi e Severino Motta, iG Brasília |

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) barrou, com base na Lei da Ficha Limpa, o registro de candidatura do deputado federal Paulo Maluf (PP). Ele foi condenado pelo Tribunal de Justiça por uma compra de frangos, supostamente superfaturados, quando era prefeito da capital paulista.

O registro de Maluf foi indeferido por quatro votos a dois. Foram favoráveis à candidatura os magistrados Galdino Toledo e Paulo Octávio Pereira. O presidente do TRE, Walter de Almeida Guilherme, foi contra. Junto com ele votaram Jeferson de Carvalho, Clarissa Campos e Alceu Penteado.

Maluf ainda pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar manter sua candidatura. Enquanto não houver uma decisão das instâncias superiores ele pode seguir com sua campanha na rua.

O candidato a deputado federal pelo PC do B, Protógenes Queiroz, comemorou a decisão do TRE. Isso porque o pedidos de impugnação de Maluf foi feito por seu advogado, Adib Abdouni. “Venceu o carcerário (...) Como é que pode a caça e o caçador disputarem cadeira na Câmara? Agora por 4 a 2 a Justiça foi feita”, disse o delegado afastado da Polícia Federal.

Maluf

A assessoria de Maluf disse que não se manifestará sobre as declarações de Protógenes e adiantou que vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para tentar derrubar a decisão do TRE.

“Maluf teve dois votos a seu favor, de dois eminentes juízes. A matéria, portanto, é controversa. Vamos recorrer ao TSE, conforme determina a lei. Maluf é, portanto, candidato a deputado federal”, disse o assessor de imprensa Adilson Laranjeira.

*Colaboração Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo

    Leia tudo sobre: eleições sp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG