TRE do Amazonas cassa Nelson Azêdo

Candidato à reeleição no Amazonas teve cassação do mandato aceito pelo Tribunal Superior Eleitoral por abuso econômico

Martha Bernardo, iG Amazonas |

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) cassou ontem o mandato do deputado Estadual Nelson Azêdo (PMDB) por abuso de poder econômico e político. O deputado e candidato a reeleição também vai ter de pagar multa de R$ 50 mil e ficará inelegível por oito anos. O pedido de cassação foi feito pelo Ministério Público Eleitoral no Amazonas (MPE-AM).

Naquela ocasião, o então deputado havia se envolvido no “Caso Prodente:” durante as eleições de 2006, Nelson Azêdo e o seu filho, o vereador Nelson Amazonas, teriam utilizado a Fundação Dentária do Amazonas para conseguir votos em Manaus e Itacoatiara (a176 quilômetro de Manaus). De acordo com investigações do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), teria cometido abuso de poder econômico.

Durante o processo eleitoral de 2006 foi constatado que Nelson Azêdo, em “palestras” na sede da Fundação Prodente, condicionava o atendimento aos votos dados a ele e ao seu filho. Antes da decisão de segunda-feira, 9, o processo já havia ido a julgamento da Justiça Eleitoral do Estado, que o arquivou por falta de provas.

Em 2008 o MPE-AM recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral que acatou a denúncia e reenviou o processo ao TRE-AM em janeiro deste ano.Com a cassação de Nelson Azêdo, assume a vaga na Assembléia Legislativa o ex-deputado estadual Wanderley Dallas (PMDB). O julgamento do “Caso Prodente” está na pauta do TRE desta terça-feira.

    Leia tudo sobre: eleições-amtretsempemandato cassadonelson azêdo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG