TRE define segurança em Roraima

Juizes eleitorais e representantes da PF, PM e Polícia Rodoviária se reúnem para garantir paz social no segundo turno

Ricardo Gomes, iG Roraima |

O Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR) definiu nesta sexta-feira a estratégia de segurança para as eleições do dia 31 no Estado. Estarão envolvidos no esquema de segurança a Policia Federal (PF), Polícia Militar (PM) e Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os municípios ou zonas eleitorais considerados de alto risco terão segurança reforçada.

De acordo com o presidente do TRE, Ricardo Oliveira, o plano de trabalho foi definido em reunião conjunta com representantes dessas instituições. A pata do encontro foi a elaboração da estratégia de segurança, para garantir a tranquilidade na realização do segundo turno no estado, com ação concentrada na repressão aos crimes eleitorais.

Atuação

A PF vai atuar como a polícia judiciária responsável pelos autos de prisão e instauração de inquéritos. A PRF atuará nas estradas federais, para coibir em especial os crimes de natureza eleitoral.
O juiz Ricardo Oliveira comentou ainda que, à Polícia Militar, caberá a manutenção da lei e da ordem, com a realização de policiamento ostensivo e preventivo na capital, nas sedes dos municípios e nas localidades onde haja destacamento policial.

“Solicitamos que o policiamento seja reforçado em alguns locais considerados de alto risco, principalmente em bairros da zona oeste e alguns pontos do interior, onde geralmente são identificados ilícitos eleitorais,” disse.

O juiz acrescentou que esse reforço especial acontecerá “em razão destas localidades concentrarem um grande número de eleitores, que são presas fáceis para a compra de voto.” Para o presidente do TRE, a Justiça Eleitoral passa por um processo de evolução.

Consequência do voto

“As coisas estão mudando e as pessoas têm que começar a mudar. Basta ver a quantidade enorme de políticos que foram cassados pelos TRE’s e pelo TSE em todo o país, coisa que não ocorria no passado. O voto não tem preço tem consequência. A Justiça Eleitoral passa por um processo de evolução.”

Além do presidente do TRE, também participara da reunião Ricardo Oliveira e o procurador regional eleitoral, Ângelo Villela. O encontro foi realizado e no auditório do TRE, com representantes das Forças de Segurança, onde foi discutida a atuação de cada instituição.

    Leia tudo sobre: eleições rrtre rrpf rrpm rrprf rrsegundo turno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG