TRE cassa 21 prefeitos em Mato Grosso

Eleitos em 2008, eles foram cassados sob acusação de compra de votos. Do total, 9 reassumiram o cargo

Kally Martins, iG Mato Grosso |

Pesquisa do iG constatou que 21 prefeitos municipais eleitos em 2008 tiveram seus mandatos cassados pelo Tribunal Regional do Mato Grosso (TRE-MT) nos últimos dois anos, principalmente sob acusação de compra de votos. Nove conseguiram reverter à situação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Outros travam embate jurídico para retornar ao cargo. Para o presidente da Comissão de Direito Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT), José Luiz Blaszak, o alto índice de cassações revela que muitos partidos políticos não cumprem à risca a legislação eleitoral, o que facilita a impunidade.

"A impunidade tem ficado à mostra. Isso serve de alerta para as eleições de 2012, em que as coligações vão ter de possuir maior respaldo da assessoria jurídica, na tentativa de evitar as irregularidades na campanha," acrescentou.

Cassados

Foram cassados os prefeitos dos respectivos municípios: Antônio Milanezi (Rio Branco), Wilson de Lima (São Pedro da Cipa), Adair Moreira (Alto Paraguai), Aurelino Brito (Novo Mundo), Júlio Ladeia (Tangará da Serra), Vilmar Giachini (Cláudia) e Alcir Paulino (Juara).

Também perderam os mandatos: Vilson Pires (Paranatinga), Osmari Azevedo (Araguainha), Agenor Evangelista (Novo Horizonte do Norte), Juarez Costa (Sinop), Ricardo Henry (Cáceres), Erival Capistrano (Diamantino), Francisco de Assis (Ribeirão Cascalheira) e Faustino Dias Neto (Santo Antônio do Leverger).

O TRE de Mato Grosso também cassou os mandatos dos prefeitos Marcelo Ribeiro (Barão de Melgaço), Francisco Soares (Nova Olímpia), Ronan Figueiredo (Poxoréu), Clóvis Martins (PTB), Walter Faria (Canarana) e Juracy Rezende (General Carneiro).

Recuperaram os mandatos

Desse total de prefeitos cassados pelo TRE-MT, nove retornaram à suas respectivas prefeituras. São eles: Adair Moreira (Alto Paraguai), Aurelino Brito (Novo Mundo), Júlio Ladeia (Tangará da Serra), Vilmar Giachini (Cláudia), Alcir Paulino (Juara) e Juarez Costa (Sinop).

Quem também consegui provar na Justiça Eleitoral que as acusações contra eles não tinham fundamento foram os prefeitos Erival Capistrano (Diamantino), Marcelo Ribeiro (Barão de Melgaço) e Juracy Rezende, do município de General Carneiro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG