Tribunal acata representação que denunciou Hélio Costa (PMDB) e Patrus Ananias (PT), por gasto ilícito de recursos de campanha

selo

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais decidiu aceitar o processo apresentado pela Coligação Somos Minas Gerais contra a decisão do desembargador Antônio Carlos Cruvinel, que havia determinado a extinção de uma representação que denunciou o candidato a governador Hélio Costa (PMDB) e seu vice Patrus Ananias (PT), por suposto gasto ilícito de recursos de campanha.

A partir da decisão da Corte, o processo será retomado para que tenha tramitação normal, com abertura de prazos para defesa, dentre outros procedimentos. O desembargador Cruvinel havia decidido, no dia 16 de agosto, pela extinção do processo por considerar que o prazo para que ele seja proposto seria após a diplomação dos eleitos. Os demais juízes entenderam, no entanto, que é possível a tramitação da representação durante o transcurso do processo eleitoral.

A Coligação Somos Minas Gerais argumenta, entre outras questões, que houve gastos de campanha por parte do candidato antes mesmo da emissão de recibos eleitorais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.