Vereador e deputado haviam sido condenados pelo uso promocional de recursos públicos

Por maioria de três votos a dois, o colegiado do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) proveu recurso em favor do vereador Eider Ribeiro Dantas Filho e do deputado estadual Rodrigo Carvalho Ribeiro Dantas, que haviam sido condenados pelo uso promocional de recursos públicos.

Em agosto de 2008, fiscais do TRE flagraram "um farto material de propaganda" no carro do cabo eleitoral Marcelo de Almeida Assis, presidente da Associação de Moradores da rua Orlando Carneiro, em Campo Grande, zona oeste do Rio, que estava sendo pavimentada pela Secretaria Municipal de Obras, à época chefiada pelo deputado Rodrigo Dantas, que hoje concorre à reeleição na Alerj.

Rodrigo ocupava o cargo no lugar do pai, Eider Dantas, que deixara o governo do então prefeito Cesar Maia para concorrer à Câmara Municipal do Rio. 

Após o flagrante do TRE, Marcelo de Almeida Assis admitiu que trabalhava a favor de Eider. De acordo com o relatório da equipe de ficalização do tribunal, o asfaltamento seria uma promessa da campanha do candidato e ex-secretário de obras.

Agora, a corte do TRE entendeu que "a pavimentação da pequena rua Orlando Carneiro, em Campo Grande, não justificava a cassação do diploma do vereador Eider Dantas nem a inelegibilidade imposta ao então secretário municipal de obras e filho do vereador, Rodrigo Dantas, que atualmente concorre ao cargo de deputado estadual".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.