Temer diz não crer em motivação política para quebra de sigilo

O candidato a vice de Dilma Rousseff afirmou que é importante concluir as investigações antes das eleições

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

O deputado federal Michel Temer, candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff (PT), adotou tom cauteloso em relação às suspeitas de que integrantes da campanha da petista tenham participação na quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao tucano José Serra e ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Temer disse não acreditar que a suposta quebra de sigilo tenha tido motivação política, mas defendeu que as investigações sejam concluídas antes do término do período eleitoral. “Acho importante, já que se diz que é do processo eleitoral, não sei se é, não creio que seja, mas, se for, tem que concluir, se for possível, antes do ( término do ) calendário eleitoral.”

O candidato afirmou que as notícias sobre o caso ainda são hipóteses, mas, defendeu a responsabilização dos acusados caso o crime seja comprovado. “A própria Receita Federal está tomando providências. Está investigando e instaurou as mais variadas medidas administrativas. Não há silêncio sobre o assunto”.

O deputado federal disse que, para o eleitor, o que interessa é que a campanha seja mantida em um “nível elevado e técnico.”

    Leia tudo sobre: Eleições Dilmasigilopleito 2010dossiêTemer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG