Siqueira diz que Gaguim dá prejuízos ao erário

Candidato ao governo do Tocantins acusa adversário de pagar por obras fantasmas como pontes e estradas

Menezes y Morais, iG Brasília |

A assessoria de Siqueira Campos (PSDB), candidato ao governo do Tocantins, divulgou nota na tarde desta terça-feira (7) acusando o governador e candidato à reeleição Carlos Gaguim (PMDB) por supostas irregularidades administrativas. Entre elas, “estradas fantasmas” e obras “pagas e não executadas,” que somam cerca de R$ 176 milhões.

“Coleta de dados feita pela coligação Tocantins Levado a Sério – diz a nota da assessoria do tucano – com base em levantamento das auditorias do Tribunal de Contas do Estado (TCE-TO) aponta que o prejuízo aos cofres públicos do Estado com obras pagas e não executadas em estradas do interior chega a quase R$ 90 milhões.”

A nota acrescenta: “Conforme as informações divulgadas pelo TCE, ao menos seis estradas apresentaram irregularidades, algumas delas as obras foram pagas e não executadas. O total do rombo é de R$ 87,5 milhões. Esse dinheiro que não é aplicado e ninguém sabe para onde vai é causador das maiores desgraças e sofrimentos.”

A assessoria citou “o povo tocantinense” como o prejudicado por esse suposto prejuízo ao erário. “Além de não ser utilizado para seu devido fim, ele (o dinheiro) some e falta para educação e saúde. E, por outro lado, é responsável pelas mortes por conta da falta de hospitais, empurra nossos jovens para as drogas e aumenta a criminalidade.”

Neste item, a nota da assessoria de Siqueira cita o deputado federal licenciado João Oliveira (DEM), candidato a vice-governador de Siqueira. “Serviços pagos e não realizados, não cumprimento de cronograma e pagamentos superiores ao serviço executado são as irregularidades comuns encontradas pelos auditores.”

Para Oliveira, “além do episódio das estradas fantasmas, o atual governo do Tocantins é investigado por suposto desvio de meio bilhão de reais por pagamento de pontes que sequer foram construídas no interior do Estado.

Estradas

A nota da assessoria do tucano também assegura que “um dos casos mais graves é o da TO-239 (Tupiratins a Presidente Kennedy). O governo pagou R$ 16 milhões a uma empreiteira representada por um dos filhos do vice-governador Eduardo Machado e até a descoberta do escândalo, a via era de chão batido, sem um metro quadrado de asfalto.”

“Outro problema foi constatado na TO-126, que fica entre Maurilândia e Itaguatins, no norte tocantinense. O TCE detectou pagamento de R$ 1,5 milhão além dos serviços executados. Na rodovia que liga Miranorte a Dois Irmãos, a TO-342, o TCE detectou pagamento irregular de R$ 24 milhões,” acrescentou a nota.

Ainda de acordo com a assessoria de Siqueira, “outro pagamento irregular foi descoberto na obra da TO-296 (Jaú do Tocantins ao entroncamento da TO-387, em São Salvador). Nesse caso, o prejuízo chegou a R$ 15 milhões. Na TO-010 (Wanderlândia a Babaçulandia), entretanto, foram gastos R$ 5 milhões.”

“Após análises das medições, foram listadas irregularidades como não cumprimento do cronograma e serviços medidos acima do executado. Em outro trecho da mesma rodovia, em Ananás, não houve cumprimento do cronograma físico da obra, planilha de medições acima do verificado ‘in loco’ e excesso de paralisações.”

A nota de Siqueira assegura por fim: “na TO-262, entre Silvanópolis e Pindorama, o TCE constatou duplicidade de contratação dos mesmos serviços em 22 km de obra.”

    Leia tudo sobre: eleições tosiqueira togaguim toeráriotce-to

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG