Serra: vou enxugar o número de ministérios

Ao detalhar a criação de um novo ministério para pessoas com deficiência, o candidato afirmou que fará uma revisão geral

Nara Alves, enviada a Minas Gerais |

Em evento com associações e organizações voltadas para atendimento a pessoas com deficiência física e mental, o presidenciável tucano José Serra detalhou como funcionará o Ministério que pretende criar para essas pessoas e, ao mesmo tempo, como fará uma revisão geral nas pastas do Executivo caso seja eleito em outubro. “Vou enxugar o número de ministérios. Tem que ter ministério onde precisa, como na Segurança e para os deficientes, que já somam 30 milhões de pessoas no Brasil”, afirmou o candidato em visita à APAE (Associação dos País e Amigos dos Excepcionais) na cidade de Poços de Caldas, no Sul de Minas Gerais.

Serra afirmou que há ministérios que “não têm razão de ser”. Como exemplo, citou o Ministério de Assuntos Estratégicos, que segundo ele poderia ser um departamento do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). “Chegando lá (ao Planalto), vamos fazer uma revisão geral. Não haverá mais ministérios do que havia, mas vamos criar dois”, explicou. O candidato disse que a verba necessária para a criação do Ministério dos Deficientes é muito pequena. “Não vamos fazer nenhuma estrutura de empreguismo para empregar companheiros. Trata-se de fazer um órgão pequeno, mas forte e eficiente para orientar o governo nesse trabalho”, disse. De acordo com Serra, boa parte dos funcionários do eventual novo ministério seria transferida do Ministério da Saúde.

Ministério do Deficiente

O presidenciável tucano prometeu criar uma rede de 40 hospitais de reabilitação, que se chamaria Zilda Arns, em referência à médica e sanitarista que se destacou pelos seus trabalhos na área social. Serra explicou que a rede faz parte do projeto de criação do Ministério do Deficiente.

Serra também sugeriu a criação de secretarias ou coordenadorias voltadas para pessoas com deficiência em todas as cidades brasileiras. Para cada 4 a 5 milhões de pessoas, será criado um novo hospital, o que totalizaria cerca de 40 hospitais, além daqueles já existentes. As redes modelos desse tipo de hospital são a Sarah Kubitschek, com unidades em cidades como Belo Horizonte, Brasília e Rio de Janeiro, e a Lucy Montoro, em São Paulo.

O candidato citou o nome da vereadora Mara Gabrilli, que foi secretária Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida na cidade de são Paulo. Ele disse que Mara está cotada para assumir a nova Pasta caso seja eleito presidente.

A visita de José Serra foi organizada pelo presidente nacional da APAE, Eduardo Barbosa, que é deputado federal pelo PSDB de Minas Gerais e candidato à reeleição.

    Leia tudo sobre: eleições serraministériodeficientesaúdemara gabrilli

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG