Ao lado de Aécio, tucano diz em Belo Horizonte que aprendeu a fazer política com os mineiros e elogia JK

Ancorado no ex-governador de Minas Gerais e senador eleito Aécio Neves (PSDB), o candidato tucano à Presidência da República, José Serra , realizou nesta quinta-feira o evento político mais significativo de sua campanha para tentar conquistar de vez o voto dos mineiros no segundo turno. Com loas ao ex-presidente Juscelino Kubitscheck (1955-1960), o tucano chegou a dizer que aprendeu a fazer política com os mineiros e assumiu compromissos com o cerca de 400 prefeitos que compareceram ao evento realizado em Belo Horizonte.

nullA fim de acabar com a disputa entre mineiros e paulistas, Serra disse que São Paulo deve a JK o processo de industrialização do Estado vivido nos anos 50. “(JK) é um político competente que mudou a história do Brasil sem dúvida nenhuma. Mudou a História do Brasil e do meu Estado. Porque a industrialização de São Paulo foi dada com a condução de um mineiro, que foi JK. A região do ABC não existia como região industrial. Ela nasceu e desenvolveu e consolidou nos cinco anos de JK”, afirmou Serra durante discurso.

Serra foi ainda mais incisivo ao creditar aos mineiros o seu aprendizado em política. “Política eu aprendi aqui na época estudantil. Porque em São Paulo a gente não sabia fazer política. Eu aprendo em Minas, na Bahia e no Rio de Janeiro. E os principais líderes do movimento que eu ajudei a fundar, a Ação Popular, eram daqui de Minas. Todos muito bem preparados. Era o Betinho. O Vinícius Caldeira Brant”, disse. Ainda durante o discurso, Serra citou escritores como Carlos Drummond de Andrade e Guimarães Rosa.

Com uma bandeira de Minas Gerais nas costas, que levava as assinaturas de Aécio Neves, Antonio Anastasia (governador tucano reeleito) e Itamar Franco (senador eleito pelo PPS), o presidenciável ainda discursou: "Quero lutar sinceramente para ter uma condição ser o mais paulista dos mineiros e o mais mineiro dos paulistas."

Em entrevista, Serra tentou ressaltar a importância de Aécio em sua campanha. "Tem uma importância afetiva porque somos amigos. O Aécio é bem mais novo que eu. Mas eu também aprendi a fazer política com ele. É uma importância política. Porque trata-se de uma pessoa das mais importantes da política brasileira. É um homem que vai ser presidente do Brasil algum dia. E é um homem que vai nos ajudar muito neste segundo turno aqui em Minas e no Brasil. Eu pedi a ele inclusive que fosse a outros Estados”, afirmou.

Aécio e Serra aparentaram cumplicidade. O ex-governador mineiro foi recebê-lo no aeroporto e dois conversaram sozinhos em uma sala por alguns minutos. Depois que o evento realizado na Associação Médica de Minas Gerais terminou, Serra e Aécio voltaram a conversar a sós. Os dois foram embora no mesmo carro. Antes de seguir para o aeroporto, saíram do automóvel e sentaram sobre o capô para saudar o público que marcava presença na rua da Associação Médica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.