Serra quer combinação câmbio/juro melhor

O pré-candidato do PSDB disse que, se eleito, vai alterar a relação das políticas de câmbio e de juros, com uma "equipe integrada"

Reuters |

O pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, disse nesta segunda-feira que, se eleito, vai alterar a relação das políticas de câmbio e de juros. A uma plateia de empresários, Serra deu poucas pistas de como vai atingir este objetivo.

Assim como Dilma Rousseff (PT), Serra foi convidado pela revista Exame a debater as formas de elevar o Brasil à quinta economia do mundo.

"Precisa de outro tipo de combinação a médio e longo prazos nesta matéria (câmbio e juro). O juro real é o mais alto do mundo", disse Serra na palestra.

Crítico sistemático da política de juros do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Serra afirmou que uma combinação "mais favorável" entre câmbio e juro pode ser obtida com uma "equipe integrada".

"Tem que ter uma equipe econômica integrada. Tem que ter responsabilidade fiscal, monetária e cambial, Fazenda, Planejamento, Banco Central. Trabalhando com determinação é possível fazer isso", disse.

Enquanto Dilma afirmou aos empresários que prevê crescimento de 5,5 por cento em 2014, último ano do próximo mandato presidencial, Serra previu 4,5 por cento em média nos próximos 30 anos, até 2040, quando o país, no seu entender, poderá chegar à quinta economia mundial.

"Se é que vai chegar", afirmou, afirmando que hoje o Brasil é o nono no ranking.

Serra voltou a apontar loteamento de cargos no governo Lula entre os partidos da base e cobrou uma política de concessões de aeroportos, portos e estradas para conferir agilidade à infraestrutra.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: serradilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG