Serra propõe lei para limitar ação de presidente em campanha

Tucano afirma que PSDB fez oposição 'soft' ao governo Lula. "Muitas vezes se diz que o PSDB fez uma oposição de banana", diz.

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, defendeu nesta quarta-feira a criação de uma lei para impor limites à participação de chefes de Executivo em campanhas eleitorais. O tucano elogiou a atuação dos ex-presidentes Itamar Franco (1992-1994) e Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e criticou a postura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na atual campanha.

Serra fez a proposta ao participar de evento político em Brasília que reuniu políticos do PSDB, do DEM e do PPS eleitos e não eleitos no primeiro turno realizado no último domingo.

Além de citar FHC e Itamar, o presidenciável ressaltou o que ocorreu com o senador Tasso Jereisssati (PSDB-CE). Apesar de sua força no Estado, ele não conseguiu se reeleger porque os dois candidatos apoiados por Lula, Eunício Oliveira (PMDB) e José Pimentel (PT), fizeram uma campanha conjunta contra o aliado tucano

"O Tasso foi enfretado por todas as maneiras, mas até por telemarketing gravado pelo presidente da República nas vésperas da eleição. A gente sabe que tem certas coisas que não se faz", disse Serra. "Isso é maldade. Isso se apresenta como presidente, com forças majoritárias, na linha de massacrar algum político que, na sua vida, só fez defender o interesse do seu Estado e de seu País", completou.

O presidenciável citou episódios do governo Itamar, que apoiou FHC, e o próprio FHC, que oito anos depois apoiou a candidatura de Serra. Lembrou que Itamar afastou um integrante do governo por este ter declarado apoio a FHC num evento público. Depois, ressaltou que, apesar de ser muito próximo a FHC, ele se comportou como chefe de Estado durante a campanha em que Lula acabou vencedor.

"O mesmo exemplo foi dado pelo presidente Fernando Henrique quando eu fui candidato a presidente, uma pessoa próxima do Fernando Henrique. Todos os momentos ele se comportou como chefe de Estado", disse Serra.

O tucano afirmou que Brasil "mudou para pior" na Era Lula. "Na verdade, uma das primeiras coisas que nós vamos ter de fazer chegando ao governo é, junto com o Congresso Nacional, aprovar uma legislação que estabeleça os marcos da participação dos chefes de Executivo nas campanhas", disse. 

O presidenciável afirmou, ainda, que ao longo dos últimos anos o PSDB fez uma oposição moderada: "Muitas vezes se diz que o PSDB fez uma oposição de banana ao governo federal. Talvez sem qualititativo, seja verdade, (o PSDB) fez uma oposição, me desculpe o anglicismo, uma oposição soft".

.

    Leia tudo sobre: Pleito2010Serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG