Serra promete Força Nacional de Segurança permanente

Em Ilhéus, segundo destino da agenda do tucano na Bahia, frio acabou espantando público

Lucas Esteves, enviado a Ilhéus |

Em visita à Bahia neste sábado, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, prometeu criar uma Força Nacional de Segurança permanente. O tucano voltou a investir na tese de que o contrabando de armas e drogas serve de base para o crime organizado e deve ser combatido de maneira eficiente pelo governo federal.

"O governo precisa combater isso e não pode se omitir. Precisamos de uma Força de Segurança Nacional que atue permanentemente e esteja pronta a entrar em ação", disse Serra. A declaração marcou uma das poucas ocasiões em que Serra tratou de temas nacionais, durante a visita que fez neste sábado ao sul da Bahia. No início da tarde, o candidato esteve em Itabuna, onde mostrou-se irritado com a falta de infraestrutura da região. 

Em Ilhéus, segundo destino da agenda, a visita aos bairros populares de Teotônio Vilela e Nossa Senhora da Vitória não chegou a mudar a rotina dos moradores, como acreditavam os correligionários baianos do candidato. O tempo frio e chuvoso, incomum na cidade litorânea, resultou em desânimo na passagem de Serra pela Bahia.

Em Teotônio Vilela, onde foi recebido por número inexpressivo de pessoas, Serra fez visita relâmpago, acompanhado pela militância organizada de tucanos e democratas. No bairro de Nossa Senhora da Vitória, a passagem do candidato pela Rua da Alegria durou cerca de 30 minutos, tendo sido precedida por um cortejo fúnebre. Ainda assim, um representante da associação de moradores do bairro apresentou a Serra uma carta contendo reivindicações para melhorias locais.

Entre um bairro e outro, o candidato concedeu entrevista coletiva no restaurante Vesúvio, popularizado pelo escritor Jorge Amado, na obra Gabriela. Motivado a apontar soluções para as questões de infraestrutura que barram o desenvolvimento da região sul da Bahia, o tucano foi taxativo: “Não tenho fórmula pronta e, ainda que tivesse, não a traria aqui hoje como promessa de campanha”.

Serra disse ainda que os problemas no País podem ser resolvidos com rapidez e responsabilidade, mas criticou a elaboração do projeto do Complexo Porto Sul, que pretende instalar um porto em uma área de proteção ambiental na região. “O projeto intermodal é necessário, mas tem que ser feito de maneira sustentável e com cuidado para que não saia no oitavo ano de governo”, disse o presidenciável em alusão ao que ocorre, por iniciativa do presidente Lula. Além do porto, o Complexo Porto Sul vai interligar o Aeroporto de Ilhéus e a ferrovia Oeste-leste, ainda não licitada.

Sobre a questão cacaueira José Serra mostrou conhecimento da causa ao afirmar que a praga da vassoura de bruxa não é mais o que incomoda. “O problema do cacau é financeiro”, disse, se predispondo a encontrar uma saída o mais breve possível. “Essa solução nós vamos arranjar em parceria com o governo estadual e com os municípios produtores”, avisou.

*Colaborou Aura Henrique, iG Bahia

    Leia tudo sobre: Dilma RousseffJosé SerraMarina Silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG