Serra promete 1 milhão de vagas para ensino técnico

Tucano diz que ensino técnico 'é vital para o desenvolvimento do Brasil e para o aprimoramento profissional dos jovens'

Agência Estado |

O candidato à presidência José Serra (PSDB) afirmou hoje em Paranavaí, cidade localizada a 520 quilômetros de Curitiba, que se for eleito irá criar o Programa do Ensino Técnico (Protec), com 1 milhão de vagas em quatro anos. Segundo o tucano, o ensino técnico "é vital para o desenvolvimento do Brasil e para o aprimoramento profissional dos jovens". Serra disse que no Chile e na Alemanha "há, respectivamente, três e dez vezes mais ofertas de vagas do que aqui".

O Protec seguiria o modelo do Programa Universidade Para Todos (Prouni), em que as universidades particulares oferecem bolsas de estudos subsidiadas pelo Governo Federal para os estudantes sem recursos. "Investimos no ensino técnico em São Paulo, elevando o número de vagas de 70 mil para 170 mil", afirmou o ex-governador paulista.

Ele salientou que o ensino técnico além de preparar o jovem para o mercado de trabalho, lhe dá condições de escolher melhor a carreira a seguir. "Oitenta por cento dos bacharéis em direito formados em São Paulo são reprovados no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)", disse, situação, que segundo ele, reflete o despreparo e, muitas vezes, a falta de vocação para o Direito. "É melhor um curso técnico bem feito do que um superior mal feito."

O presidenciável do PSDB afirmou ainda que o seu eventual governo criará 154 Ambulatórios de Medicina Especializada (AME) que oferecerão pelo menos 25 especialidades médicas, incluindo a acupuntura. "Isso encurtará drasticamente o tempo de espera que hoje é de seis meses em média de uma consulta ou tratamento especializado", disse.

Serra iniciou com duas horas de atraso a visita ao noroeste do Paraná, a partir de Paranavaí, que previa carreatas em Nova Esperança e Alto Paraná e inauguração de comitê e visita a uma feira em Maringá. Esta é a terceira visita do tucano ao Estado este mes. O atraso, segundo sua assessoria, ocorreu porque ele viajou a Colombo, região metropolitana de Curitiba, para gravar cenas do programa eleitoral. A gravação foi feita em propriedades que exercem a agricultura familiar.

Datafolha
O tucano não quis comentar a mais recente pesquisa Datafolha, divulgada hoje, que o coloca pela segunda vez consecutiva em empate técnico com a candidata petista Dilma Rousseff. "Saem pesquisas quase que a dois dias, e se eu tiver que comentar a cada uma delas... ", afirmou.

Ele reagiu ao comentário do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, feito ontem em Garanhuns (PE), durante comício em favor de Dilma. Lula disse que não via "sinceridade no olhar de Serra" quando o tucano afirmou existir vinculação entre o PT e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Eu não afirmei, apenas reproduzi o que a imprensa tem informado em profusão e até agora não foi desmentida", disse Serra.

    Leia tudo sobre: José SerraPSDBcampanha eleitoralensino técnico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG