Serra precisa partir para o confronto com Dilma, diz Itamar Franco

Ex-presidente diz que tucano não deve temer popularidade de Lula e que o atual presidente não respeita a independência dos três poderes

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais |

Senador eleito por Minas Gerais, o ex-presidente Itamar Franco (PPS) afirmou que o candidato à Presidência José Serra (PSDB) precisa escutar menos os conselhos de marqueteiros, ser mais autêntico e não temer a popularidade do presidente Lula. “Serra precisa do confronto com a candidata petista. Não importa se o Governo Federal tem 70% de aprovação. Se isso fosse tão relevante assim, não teríamos o segundo turno. Agora é outra eleição”, disse o senador eleito nesta terça-feira (05), durante entrevista à imprensa, em Belo Horizonte.

Itamar defendeu que a coordenação da campanha de José Serra seja entregue ao também senador eleito por Minas, o ex-governador Aécio Neves (PSDB). “Se me perguntassem, eu diria que Serra deveria entregar sua coordenação de campanha a Aécio, pois ele mostrou que é a maior liderança política do país e provou também que sabe coordenar uma campanha como nenhum outro, como no caso de Anastasia ao governo de Minas”, disse.

O ex-presidente não considera fundamental o apoio da ex-candidata à Presidência Marina Silva (PV) para que Serra supere a petista Dilma Rousseff no 2º turno. “Em toda a minha vida política, e são mais de 40 anos, eu somente vi uma transferência real de votos. Foi de Brizola em 1989 quando ele apoiou Lula no 2º turno e seus eleitores obedeceram e votaram no petista. Isso mostra que ninguém é dono do eleitor, principalmente, em Minas Gerais como ficou provado nessa eleição”.

“Serra precisa tirar uma diferença de mais de 15 milhões de votos, mas não será apenas com o apoio desse ou daquele cabo eleitoral. O que ele tem que fazer é ir para o confronto com Dilma Rousseff e mostrar ao eleitor que ele será um presidente diferente dela. Mais sério, mais correto, mais eficiente, sem perder a visão social de Lula ou a preocupação ambiental de Marina. Ainda assim, melhor que Dilma para o país e o povo. Serra não deve ter medo do confronto", declarou Itamar.

Lula esqueceu o que diz a Constituição

Após oito anos sem mandato, Itamar retorna ao Senado em janeiro de 2011 onde foi eleito pela primeira vez durante o regime militar, em 1974 – à época, o mineiro era do MDB e disputou a vaga à convite do então senador paulista Franco Montoro, também do MDB. Ele irá encontrar um Senado muito diferente daquele, mas acredita que o Senado precisa restabelecer a ordem normal entre os poderes para recuperar sua credibilidade.

“O presidente Lula esqueceu o que diz a Constituição sobre a independência dos poderes. O executivo não deve interferir no legislativo. Nunca vi nada igual a isso, nem mesmo os militares agiram assim embora tenham criado a figura do senador ‘biônico’. Fui presidente de CPIs durante o regime militar e não houve nenhuma ação dos militares para impedir isso. No Senado, vamos mudar isso, pelo menos duas vozes, a minha e a de Aécio, serão colocadas a favor da legalidade, não importa se a favor ou contra o Governo Federal”, diz.

Itamar foi questionado sobre a relação com Serra em caso de vitória do tucano. “Serra não é como Lula. Ele não desrespeitaria a Constituição". Mas ele salienta que um senador não pode ser amigo ou inimigo do presidente. "Estaremos a favor da presidência se ela respeitar a lei”, concluiu.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG