Serra: não se chega ao primeiro mundo com sucessivos escândalos

Para candidato tucano, os escândalos estão no coração do governo e isso não pode ser encarado de maneira natural

Adriano Ceolin, enviado a Aracaju (SE) |

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse hoje que “nenhum país chega ao primeiro mundo mergulhado em sucessivos escândalos no coração do governo, na Casa Civil”. Serra chegou a Aracaju (SE) na tarde desta sexta-feira e deu entrevista no saguão do aeroporto. “Temos a oportunidade de dar um basta nisso. Isso não pode ser encarado de maneira natural”, disse o candidato.

nullAntes de iniciar uma carreata em carro aberto por vários bairros da capital sergipana, o presidenciável tucano afirmou que tem “compromisso com a decência”, o que está acima de todos os outros compromissos. “Ele (compromisso) é fundamental para dar exemplo à sociedade. Também para evitar que recursos do Bolsa Família e de outros programas sejam desviados para o bolso de delinquentes, partidos e campanhas eleitorais”.

Com relação às investigações das denúncias de suposta formação de lobby na Casa Civil, Serra disse que “é preciso tomar providência não só para a investigação, mas para a eleição também”. Questionado sobre como o governo pode evitar que esse tipo de escândalo não aconteça, o candidato respondeu que é uma questão de nomear pessoas que ele conhece.

“Não dá para nomear para cargos chave pessoas que você não conhece ou conhece há pouco tempo, como na Casa Civil. Este é o terceiro escândalo. Além de nomear gente, você tem que dar um padrão de comportamento. Eu tenho 27 anos de cargos e funções e nunca nada disso aconteceu. Por quê? Porque você forma boas equipes”, disse.

Ao ser questionado sobre a declaração do presidente Lula, que em entrevista exclusiva ao iG disse que “não vai admitir sacanagens com Dilma”, o candidato tucano apenas afirmou: “Metodologia interessante”.

Havia cerca de duzentas pessoas esperando Serra no aeroporto de Aracaju, a maioria delas integrantes do DEM, partido do candidato ao governo estadual, João Alves, que apoia Serra. O candidato do PSDB ao Senado, Albano Franco, não estava no aeroporto, onde também não havia bandeiras do PSDB. É que o partido dos tucanos não faz parte da coligação liderada pelo DEM, que apoia Serra no Estado.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições serralulajoão alvesalbano franco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG