Serra não comenta pesquisa e mantém ataques a Dilma

Com o candidato ao governo de São Paulo Geraldo Alckmin, José Serra inaugura comitê em Ribeirão Preto

Agência Estado |

Em queda constante nas pesquisas eleitorais, o candidato à Presidência da República José Serra (PSDB) não quis comentar os dados do último levantamento Ibope/Estado/TV Globo, no qual aparece com 29% das intenções de voto, contra 51% de sua principal adversária, Dilma Rousseff (PT). Em Ribeirão Preto (SP), onde inaugurou um comitê do PSDB, Serra voltou a atacar Dilma e acusou o governo federal de tentar beneficiá-la no episódio recente da quebra de sigilo de membros do PSDB, entre outras pessoas.

Agência Estado
Alckmin e Serra dividiram palanque em Ribeirão Preto

"É evidente que isso foi em benefício da campanha eleitoral; o primeiro repórter que teve um dado do vazamento, quando procurou o Eduardo Jorge, disse que tinha recebido do comitê da Dilma", disse Serra. "Isso demonstra, inequivocamente, que se tratou, além de um crime, de um jogo muito sujo de natureza eleitoral", completou o ex-governador paulista.

Ao ser indagado sobre o motivo de ele não comentar pesquisas eleitorais após ter sido ultrapassado por Dilma, Serra chamou o repórter de "desmemoriado" e afirmou que nunca comentou pesquisas. De fato, Serra evita falar sobre números, mas em maio, quando a pesquisa CNT Sensus trouxe o empate entre ele e a candidata do PT, Serra disse, em entrevista à emissora Verdes Mares, do Ceará, que esteve praticamente na frente sempre e que à época havia o empate. "Mas logo vai desempatar, a coisa vai andar", afirmou o tucano à época.

    Leia tudo sobre: Eleições SerraEleições SPPleito 2010AlckminSão Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG