Serra encerra campanha pregando unidade do partido

Com fé no segundo turno, candidato esperar que seus correligionários não entrem em férias depois do próximo domingo

Nara Alves, iG São Paulo |

No ato de encerramento de sua campanha no primeiro turno, o candidato tucano à Presidência da República, José Serra, pregou a unidade do PSDB e disse acreditar que chegará ao segundo turno das eleições. "Eu trabalhei o tempo inteiro pela unidade. Agora é evidente que as pessoas que trabalharam em suas campanhas (estaduais) poderão ajudar e muito na campanha nacional", disse.

"A determinação que eu gostaria que o Sérgio Guerra (presidente nacional do PSDB) desse ao partido é para que ninguém viaje de férias depois do primeiro turno", afirmou ao chegar na casa de eventos Moinho Santo Antonio, na zona leste de São Paulo, onde aconteceu o ato de encerramento.

Serra fez um breve balanço de sua campanha e afirmou que faria algumas coisas diferentes caso pudesse voltar atrás, mas não quis detalhar o quê. "Se pudesse voltar atrás com a cabeça que eu tenho hoje, é claro (que faria diferente), a gente quando atua em determinado momento usa a massa de conhecimento que tem naquele momento", ponderou, acrescentando: "Neste sentido não fiz nada errado, se você pudesse voltar atrás, tiraria dez em todas as provas".

De acordo com Serra, lideranças da legenda e aliados telefonam dando boas notícias a respeito de suas regiões, e isso faz com que ele se sinta com “muita confiança”. O presidenciável negou que já esteja articulando o apoio de Marina Silva, candidata do PV à Presidência da República: "Depois que isso (primeiro turno) ficar definido, eventualmente podem ter conversas entre candidatos, mas antes seria desrespeito".

O ato organizado no Moinho Santo Antonio contou apenas com lideranças de São Paulo. Ao lado de Serra, no palanque estavam o candidato tucano ao governo paulista, Geraldo Alckmin, seu vice, Guilherme Afif Domingos (DEM), o governador Alberto Goldman, o candidato tucano ao senado Aloysio Nunes e o prefeito da capital Gilberto Kassab (DEM). Em seu discurso, Serra lembrou de sua infância no bairro da Mooca, bem perto dali, e disse que aquele palanque demonstrava uma unidade muito forte. Já Alckmin, na sua fala, respondeu ao apelo de Serra para que ninguém descansasse após o primeiro turno, dizendo que “serra pode contar conosco no primeiro e no segundo turno”.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleiçõoes serrapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG