Serra e Alckmin minimizam apoio de PMDB paulista a Dilma

¿Estamos aqui em uma aliança por São Paulo¿, diz Serra referindo-se à coligação que une PMDB a PSDB no Estado

Daniela Almeida, enviada a São Carlos e Araraquara |

Depois de uma caminhada na cidade de São Carlos, administrada pelo petista Oswaldo Barbosa, o candidato à Presidência da República, José Serra (PSDB), fez campanha ao lado do prefeito peemedebista de Araraquara, Marcelo Barbieri. O tucano aproveitou para rebater o apoio de deputados estaduais do PMDB à candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff , anunciado nesta sexta-feira na Assembleia Legislativa de São Paulo.

“Estamos aqui em uma aliança por São Paulo”, diz Serra referindo-se à coligação que une PMDB a PSDB em São Paulo.

Para Serra, adversários políticos não conhecem o Estado, governado pelo PSDB há 16 anos. “Não pode passar é a ideia de que conhece nosso Estado e nossos problemas. É gente que não viveu São Paulo, não vive São Paulo e nunca vai viver”, afirmou.

Geraldo Alckmin, postulante tucano ao governo paulista, que acompanhava Serra na campanha pelo interior paulista, chegou a citar o ex-governador Mário Covas. “Ele dizia que é possível unir política e mudança”.

Sobre os recentes episódios envolvendo a Casa Civil, que culminaram na saída da ex-ministra-chefe Erenice Guerra , o candidato Serra disse que não se trata de fato “eleitoral”, mas dado importante para o país. “Isso é uma caixa de surpresas. Cada dia, aparece uma coisa”, afirmou.


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG