Serra diz ter aconselhado Lula sobre fundo e que Dilma foi contra

Tucano refere-se à participação brasileira em conferência sobre mudanças climáticas e ainda acusa Mercadante de produzir dossiê

Adriano Ceolin, enviado a Manaus |

O candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, José Serra, disse nesta sexta-feira, em Manaus, que aconselhou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a propor a participação do Brasil em um fundo internacional de combate a emissões de gases de efeito estufa. O tucano acrescentou ainda que Dilma Rousseff (PT), como ministra-chefe da Civil à época, posicionou-se contra a ideia.

“Eu pessoalmente fui um dos que convenceram o presidente Lula a contribuir para aquele fundo. Devo dizer sem qualquer veneno eleitoral que a ministra Dilma era o pólo contrário à participação deste fundo”, disse Serra, durante discurso para empresários da Lide (Grupo de Líderes Empresariais) do Amazonas, onde o tucano faz campanha hoje.

A proposta do fundo foi defendida por Lula na Conferência das Nações Unidas Sobre Mudanças Climáticas, realizada em dezembro passado em Copenhagen. Serra esteve no encontro ainda como governador do Estado de São Paulo, cargo que deixou em abril deste ano para concorrer à Presidência da República. Outros governadores também compareceram.

nullAo declarar que aconselhou Lula a participar do fundo sobre mudanças climáticas e que Dilma foi contra, Serra repete a estratégia utilizada na propaganda eleitoral de quinta-feira em que apareceu ao lado do presidente da República e questionou se a ex-ministra da Casa Civil dará continuidade aos êxitos do atual governo.

Serra incluiu o tema do combate a emissões de gases de efeito estufa ao ressaltar que a floresta amazônica precisa ser preservada. “Não vai resolver o problema da floresta sem resolver questões econômicas”, disse o tucano.

Zona Franca de Manaus

Como forma de preservar a floresta, Serra defendeu a perenização da Zona Franca de Manaus . Ou seja, tornar eterna a área de livre comércio no pólo industrial da capital do Amazonas. Há anos, Serra é acusado de ser contra a Zona Franca.

O tucano afirmou, no entanto, que o assunto ainda precisa contar com apoio de empresários. “É uma questão que pessoal vai decidir o melhor. Se não puder ser feito, a gente não faz e mantém essas condições de renovações contínuas”, disse Serra. Prevista na Constituição, a Zona Franca precisa ser prorrogada por votação..

Ataque a Mercadante

Após o discurso, Serra respondeu a perguntas de empresários que assistiram ao evento. Ao ser questionado por que é visto como adversário da Zona Franca, Serra afirmou que frequentemente levantam mentiras contra ele. Citou que foi alvo de dossiês do PT, como em 2006, durante a campanha pelo governo do Estado.

Serra responsabilizou o atual candidato do PT ao governo paulista, Aloizio Mercadante, pelo episódio. “A minha vida foi esquadrinhada como a de ninguém. Esses dossiês... Cayman foi o único que o PT não fez. Teve dossiê dos aloprados. O sujeito que organizou ainda é candidato a governador 'numa nice'”, disse.

    Leia tudo sobre: eleições serrapleito 2010eleições dilmalula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG