Serra diz que Dilma apresentou plano de governo 'eleitoral'

Tucano critica documento apresentado pela adversária do PT, mesmo sem ter formalizado a divulgação do próprio plano

Nara Alves, iG São Paulo |

Mesmo sem ter apresentado o seu próprio plano de governo, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra , criticou o plano divulgado hoje pela presidenciável Dilma Rousseff (PT). Após reunião com representantes da Sociedade Brasileira para o progresso da Ciência (SBPC), na capital paulista, o tucano afirmou que o programa petista é “sem dúvida nenhuma um instrumento de promoção eleitoral”.

“É só uma jogada eleitoral. Não tem nenhum significado, até porque eles pensam xis e menos um sobre xis sobre cada coisa, segundo a conveniência do momento... Dizem uma coisa e depois o contrário. Não têm nível nenhum”, afirmou. Serra justificou o atraso na apresentação formal do seu plano de governo dizendo que as “idéias estão praticamente na internet, através de debate”. Segundo ele, essas idéias são um reflexo “daquilo que vamos vazer mesmo, portanto, não é um instrumento de promoção eleitoral... o que eu mandei para a Justiça Eleitral são discursos de alta densidade”, afirmou. Para o candidato tucano, a oficialização do documento não é essencial. “Até porque eles (a candidatura Dilma) não oficializaram coisa nenhuma”, disse.

Ao longo da campanha, o PSDB coletou, através da internet, sugestões para o plano de governo de Serra. O site, batizado de “Proposta Serra”, reuniu a opinião de internautas, militantes e especialistas de diversos setores. Entre as sugestões registradas no site, dado como referência por Serra como plano de governo, estão propostas polêmicas como o fim da obrigatoriedade do serviço militar, a legalização da maconha (que Serra já disse ser contra) e outras teses questionáveis como a necessidade de mudança do logotipo da Copa de 2014, que será realizada no Brasil.

Outras propostas já são conhecidas por terem sido ressaltadas durante a propaganda eleitoral, como o salário mínimo de R$ 600,00, o décimo terceiro para o Bolsa Família e o aumento para os aposentados, itens esses que têm sido a principal bandeira do candidato no segundo turno.

Já o coordenador do programa de governo do candidato tucano, Xico Graziano, disse hoje acreditar que até domingo, no dia das eleições, a íntegra do plano deverá ser publicada. Mas, segundo ele, 90% do conteúdo já está na internet.

Ciência e tecnologia

José Serra recebeu da SBPC um documento com propostas para a área de pesquisa em Ciência e Tecnologia. Ele afirmou que esse documento será incorporado integralmente ao seu plano de governo para o setor. O candidato ressaltou a necessidade de um plano nacional de educação, que visaria o investimento na área no médio prazo, “acima dos partidos”.

O tucano também ressaltou a importância da educação para ampliação do conhecimento do indivíduo como forma de ampliar a democracia e criticou o atual governo por aquilo que ele classificou de “inexistência de política de desenvolvimento”. “O modelo petista é da desindustrialização militante”, afirmou na reunião com os cientistas. Serra defendeu mais investimento privado em pesquisa e prometeu dar às empresas mais segurança, estabilidade e garantias de que não serão “destruídas pelas importações” de tecnologia.

Entre as sugestões do documento, está a ampliação da meta de investimento em pesquisa de 1,1% do PIB atualmente para 2% do PIB até 2020. Outra preocupação demonstrada pelos representantes da SBPC foram as dificuldades para pesquisa da biodiversidade brasileira. Serra voltou a criticar o governo Lula, dizendo que o Brasil, que tem 10% da biodiversidade do mundo, gera apenas um por cento dos US$ 500 bilhões de dólares que são gerados no mundo em biodiversidade.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições serrasbpcplano de governo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG