Sem polêmica, campanha finaliza 3ª versão do programa de Dilma

Reportagem do iG teve acesso a documento que foi combinado com os partidos aliados e será analisado pela candidata do PT

Andréia Sadi, iG Brasília |

A coordenação da campanha de Dilma Rousseff e os partidos aliados marcaram uma reunião para acertar nesta segunda-feira (16) os últimos detalhes da terceira versão do programa de governo da candidata do PT à Presidência. Após repercussão negativa de propostas da primeira e segunda versões, a campanha resolveu redigir novo texto. Entre as principais polêmicas, estavam o combate ao "monopólio da mídia" e taxação das grandes fortunas.

O primeiro programa registrado pelo PT no TSE tinha 19 páginas com resoluções do 4.º Congresso do partido, realizado em fevereiro. O iG teve acesso ao novo documento que ainda passará pelo crivo de Dilma hoje e poderá ser alterado.

Entitulado “Os 13 compromissos de Dilma Rousseff”, as 13 páginas do documento acolheram sugestões de PMDB, PSB, PDT, PCdoB, PSC e outros partidos da aliança que se reuniram durante todo o mês no comitê de campanha da candidata, em Brasília.

Os coordenadores alegam que oscompromissos são um resumo do programa que será detalhado em até 24 itens. Serão nesses tópicos que as promessas de campanha da candidata, como o Ministério de Micro e Pequena Empresa e a linha de crédito para eletrodomésticos no Minha Casa Minha Vida, estarão explicados.

Selo de garantia

A abertura do texto relembra as conquistas do governo Luiz Inácio Lula da Silva como a garantia de que Dilma será a continuidade do presidente. Na economia, o documento destaca os 30 milhões de homens e mulheres que ascenderam à classe média. E afirma que “diferentemente de tempos passados, esse processo ocorreu sem abalos na macro-econômica”, enaltecendo as bandeiras do governo, como o PAC 1 e 2, o Minha Casa Minha Vida e o Bolsa-Família.

Agência Estado
Dilma e o vice, Michel Temer: PMDB deu contribuições para o novo programa

“Tudo isso permitiu a criação de um gigantesco mercado de bens de consumo e a formação do círculo virtuoso que garantiu a expansão sustentada de nossa economia”, destaca o texto.

Na saúde, o documento relembra a derrota do governo no Congresso na votação da CPMF, mas diz que houve elevação dos recursos orçamentários para a área de R$ 60 bilhões de reais contra R$ 25 bilhões do governo Fernando Henrique Cardoso.

Após os últimos retoques, a campanha espera fechar o documento até esta terça-feira, 17, estreia da propaganda eleitoral na TV. A ideia é que Dilma use o conteúdo do programa em algumas das gravações.

Confira os detalhes das principais propostas:

1. Expandir e fortalecer a democracia política, econômica e social

Destaque: Propõe a reforma política realizada em conjunto com a sociedade e a reforma do Estado, para garantir eficácia no combate à corrupção.

2. Crescer mais, com expansão do emprego e da renda, equilíbrio macro-econômico e redução da vulnerabilidade externa e das desigualdades regionais

Destaque: Ampliar o investimento e a poupança, e fazer dos projetos nacionais vanguardas de um novo projeto nacional. Diz o texto: "O crescimento não é sustentável sem estabilidade econômica, mas a estabilidade não se sustenta sem crescimento".

3 . Dar seguimento a um Projeto Nacional de Desenvolvimento que assegure grande e sustentável transformação produtiva do Brasil

Destaque: As políticas industrial- desenvolvimento da grande indústria com o das micro, pequenas e médias empresas-, agrícola (foco na reforma agrária) e energética (produção de energia renovável e pesquisa de novas fontes).

4. Erradicar a pobreza absoluta, prosseguir reduzindo as desigualdades sociais

Destaque: Bolsa-Família, que será ampliado, e porta de entrada para o mercado de trabalho.

5 . Promover a igualdade para todos, com garantia de futuro para os setores discriminados na sociedade

Destaque: Ampliar ações do governo Lula, com atenção especial para jovens e crianças.

6. O Governo Dilma será de todos brasileiros e dará atenção especial aos setores desprotegidos da sociedade e aos trabalhadores

Destaque: Políticas públicas, mas sem especificar medidas.

7. Educação para a igualdade social, cidadania e desenvolvimento

Destaque: Ampliar o Prouni e as instituições federais de educação tecnológica, e a criar seis mil pré-escolas.

8. Transformar o Brasil em potência científica e tecnológica

Destaque: Expandir recursos para Pesquisa e Desenvolvimento perseguindo a meta de elevá-los a 2% do PIB até 2022.

9. Universalizar a saúde e garantir a qualidade do SUS

Destaque: Ampliar o SAMU, o Programa Brasil Sorridente, as Farmácias Populares, a expansão das equipes de Saúde da Família e a implantação das Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

10. Valorizar a cultura nacional, dialogar com outras culturas, socializar os bens culturais e favorecer a democratização da comunicação

Destaque: Iniciativas para fortalecer uma indústria do áudio-visual nacional e regional em articulação com outros países, especialmente da América do Sul.

11. Combater o crime e assegurar a segurança dos cidadãos

Destaque: Reforma da Segurança Pública, fortalecimento do Pronasci.

12 . Defender o meio ambiente e garantir um desenvolvimento sustentável

Destaque: Construir um modelo de desenvolvimento ao mesmo tempo sustentável e includente. Mas, sem mais detalhes.

13. Defesa da soberania nacional

Destaque: Consolidação e implementação da nova política de defesa, nos termos da estratégia nacional, aprovada em 2009, acompanhada do reequipamento das FFAA e da plena implantação do Ministério da Defesa.

    Leia tudo sobre: Eleições Dilmaprograma de governo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG