Mesmo com quatro nomes já inscritos, partido aliado do PSDB no RS pretende "expandir leque" para atender exigências da governadora

Ainda sem um nome forte para indicar a vice de Yeda Crusius, pré-candidata do PSDB à reeleição no Rio Grande do Sul, o Partido Progressista adiou, alegando a necessidade de novas deliberações, a reunião que revelaria hoje o escolhido para compor a chapa com a governadora. O PP promete ampliar suas opções, apesar de já contar com quatro nomes concorrendo internamente, afirma o presidente do diretório gaúcho do partido aliado dos tucanos no estado, Pedro Bertolucci.

“Nós acreditamos que podemos abrir para mais gente, expandir o leque, sem comprometer a nossa autonomia”, afirmou Bertolucci ao iG .

Até o último dia 31, quando o prazo de inscrições à vaga de vice se esgotou, a única liderança do PP com abrangência estadual entre os possíveis indicados era o deputado federal Vilson Covatti. Os vereadores Eduardo Macluf, de Pelotas, Élio do Amaral, de Cruz Alta, e Jordão Oliveira, de Entre-Ijuís, completavam a lista. O pedido da governadora, de revisão dos candidatos e inclusão de nomes ligados ao primeiro escalão do governo, foi determinante para o adiamento da escolha, que deve ser feita pelos dois partidos em conjunto.

Com a prorrogação, o deputado estadual Jerônimo Goergen, apoiado por parcelas do PP, pode entrar na disputa, assim como o ex-chefe da Casa Civil Otomar Vivian. Outro possível nome é o do ex-secretário da Agricultura João Carlos Machado, considerado o preferido de Yeda, uma vez que já trabalhou ao lado da governadora. Machado tem a desvantagem, porém, de contar com uma projeção apenas modesta no partido.

Ainda não há data oficial para a divulgação do escolhido. O limite seria o dia 26, quando acontecerá a convenção estadual do PP, mas Bertolucci acredita que uma decisão deve ser tomada nos próximos dez dias. O partido deve intensificar o ritmo das conversas com correligionários no interior do estado para apresentar novos nomes à governadora.

Outras Coligações
Os adversários de Yeda parecem consolidar suas alianças. O pré-candidato petista, Tarso Genro, apresentou hoje a base de sua Frente Popular, formada por PPL, PSB, PC do B e PT. Amanhã, Genro segue para a região central do estado, acompanhado por seu provável vice, o ex-prefeito de São Lourenço do Sul Beto Grill (PSB).

O ex-prefeito de Porto Alegre José Fogaça deve oficializar, na convenção estadual do PMDB, em 26 de junho, sua parceria com o deputado federal Pompeo de Mattos (PDT), com quem vem realizando caravanas pelo interior. Hoje os dois encontraram-se com prefeitos e vices filiados aos partidos da coligação. Já o deputado Luís Augusto Lara, pré-candidato pelo PTB, participou nesta tarde de reunião da executiva estadual da legenda, tratando de negociações com o PPS e o DEM.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.