Sem acordo, PT e PMDB se reúnem por palanque em MG

Diretórios deveriam resolver impasse entre Costa e Pimentel no domingo, mas PT e PMDB nacional admitem indefinição até segunda

Andréia Sadi, iG Brasília |

As cúpulas do PT e do PMDB marcaram para a próxima segunda-feira, dia 7, uma reunião para definir quem vai encabeçar a chapa dos partidos em Minas Gerais. A cúpula do PMDB quer que o PT mineiro bata o martelo no domingo, dia 6, a favor da candidatura do ex-ministro e senador Hélio Costa (PMDB-MG) ao governo de Minas, mas os partidos já admitem que a decisão pode ser adiada.

Para o presidente do PT, José Eduardo Dutra, se o acordo entre os partidos não sair até domingo, quem definirá o candidato ao governo será a cúpula. “Nós é que vamos resolver se eles não chegarem a um acordo. Agora, que será uma chapa única, isso está definido há muito tempo , disse Dutra ao iG nesta terça-feira. No mês passado, os partidos se reuniram para anunciar o acordo, mas disse que o quadro só seria definido no próximo dia 6.

Os partidos encomendaram pesquisas no último final de semana para avaliar o desempenho de seus pré-candidatos. O PT mineiro recebeu o resultado nesta terça-feira, que mostra empate técnico entre Pimentel e Costa. Segundo interlocutores do partido, o cenário onde Pimentel é candidato mostra o petista com 32,3 %, o tucano Antonio Anastasia 24% e José Fernando (PV) com 5,9% . Com Costa, os números mostram 35% para o peemedebista, seguido por 22,9% de Anastasia e 6,2% de José Fernando. Na espontânea, Pimentel aparece com 10, 5%, Anastasia 9% e Costa com 7%.

Já o PMDB disse que terá os números de sua pesquisa entre hoje e amanhã e encaminhará uma cópia ao PT.

Dutra disse que foram convocados para a reunião o presidente do PMDB, Michel Temer, os presidentes estaduais do PT e PMDB, Reginaldo Lopes e Antonio Andrade, respectivamente, e os pré-candidatos Pimentel e Costa. Principal aliado do PT na disputa nacional, o PMDB não abre mão da candidatura em Minas. Colocou, inclusive, a cabeça de chapa como uma das condições para fechar a aliança com o PT e indicar Michel Temer para a vice de Dilma Rousseff.

Pimentel chegou a disputar prévia com o colega e ex-ministro Patrus Ananias, mas levou a disputa. Se não sair candidato ao governo, o ex-prefeito, que também coordena a campanha de Dilma à Presidência, pode disputar o Senado.

Segundo maior colégio eleitoral no País, Minas Gerais é um Estado estratégico para a disputa pela Presidência da República. Nas duas últimas eleições, Lula venceu em Minas apesar de o PT não ter sequer disputado o segundo turno na eleição para o governo do Estado: Aécio Neves foi vitorioso em ambas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG