Sem acordo com Cid, Tasso promete palanque tucano no Ceará

Senador se reuniu com 45 prefeitos e decidiu lançar um candidato para disputar com Cid Gomes no dia 21

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O candidato a presidente da República pelo PSDB, José Serra, terá palanque próprio no Ceará, de acordo com um plano traçado na noite de segunda-feira pelo senador Tasso Jereissati (PSDB), candidato à reeleição. Após se reunir com 45 prefeitos, Tasso decidiu que o partido lançará no dia 21 um nome para enfrentar o atual governador Cid Gomes (PSB-CE) na corrida estadual.

“Sob a liderança do doutor Tasso, o PSDB decidiu lançar um candidato próprio”, afirmou Samuel Araripe, prefeito do Crato, e um dos coordenadores da campanha tucana no sul do Estado. Ele não quis adiantar nomes, mas os mais cotados como candidatos são o deputado estadual Marcos Cals e o empresário Beto Studart (ambos do PSDB).

Não era esse o plano inicial de Tasso. Até a semana passada, o tucano tentou costurar uma aliança branca com Cid Gomes - ele e o irmão, o deputado federal Ciro Gomes (PSB), são a históricos aliados no Ceará. O PT é que trouxe problemas para Tasso ao insistir no lançamento do ex-ministro José Pimentel (PT) para o Senado.

Num primeiro momento, Cid Gomes chegou a pressionar o PT dizendo que o partido já detinha a vaga de vice-governador na sua chapa. O governador deu declarações que seu compromisso era apoiar apenas a candidatura de Eunício Oliveira para o Senado (PMDB). No entanto, Pimentel e o PT ameaçaram romper com o governo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve papel importante na manutenção da candidatura de Pimentel. Na semana passada, ele esteve no Ceará e encontrou-se com Cid Gomes. Ex-ministro de Lula e amigo de Tasso, Ciro ainda não deu declarações sobre a sucessão no Ceará. Esperava-se que ele ajudasse o tucano, já que o PT trabalhou contra sua candidatura a presidente.

Ciente de que a candidatura de Cid Gomes é favorita, o PSDB do Ceará incentiva o lançamento de nomes de outros partidos para tentar forçar um segundo turno. Ex-governador e ex-senador, Lúcio Alcântara estuda disputar o governo pelo PR. O PV, que precisa de um palanque para Marina Silva  - candidata a presidente -  também pensa em lançar um nome.

Aliada da família Gomes e de Tasso, a senadora Patrícia Saboya (PDT-CE), ex-mulher de Ciro, também tenta entra no jogo da sucessão. Segundo o iG apurou, Patrícia condicionará o apoio do PDT a Cid e ao PT. Ela quer que o partido indique o vice no lugar no PT. Isso porque os petistas exigiram lançar o petista José Pimentel ao Senado.

    Leia tudo sobre: Tasso Jereissatipsdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG