'Se ele fez, não foi orientado por nós', diz Dutra

Presidente nacional do PT nega que campanha do PT tenha autorizado o jornalista Luiz Lanzetta a contratar serviços de espionagem

Andréia Sadi, iG Brasília |

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, reagiu às denúncias de que a pré-campanha da ex-ministra Dilma Rousseff teria montado um esquema de espionagem para prejudicar o adversário tucano José Serra. Em entrevista ao iG na manhã deste sábado, Dutra disse que qualquer decisão nesse sentido não teve autorização do partido ou da pré-candidata.

Ele também garantiu que o PT manterá a interpelação judicial de Serra, pelas acusações feitas pelo tucano na semana passada, responsabilizando Dilma pela suposta tentativa de produzir um dossiê. “Vamos fazer a interpelação na segunda-feira. Serra fez a acusação, agora tem que confirmar o que disse”, afirmou Dutra.

iG - Como a campanha do PT vê essas denúncias de supostos contratos com arapongas pela empresa Lanza?
José Eduardo Dutra - Do ponto de vista da relação da campanha com a empresa, não há nenhuma reclamação em relação às pessoas que estão sendo contratadas. Quanto aos movimentos que o dono da empresa faz – e não presta serviço só para nossa campanha – nós não fazemos vinculação. O que repetimos é que, se ele fez, não foi orientado por nós, não tinha autorização para falar em nome de ninguém dentro da campanha, nem do PT. E ponto.

iG - Mas o contrato se esgota agora. Será renovado?
Dutra - O contrato se esgota agora, é específico para pré-campanha. Qual era a alternativa? Ou o PT contratava um monte de jornalistas, o que não fazia sentido, ou contratava a empresa para prestar o serviço. O que foi feito. Da mesma forma que tem na campanha do José Serra também.

iG - Mas a campanha vai renovar o contrato com a empresa?
Dutra - Quando se instalar o comitê é que vai ser decidida a parte operacional. A partir do momento em que se formar o comitê – e ele tem prazo de vida esse comitê – então talvez não seja necessário contratar uma empresa. Diferentemente do PT, que é uma instituição permanente. O comitê é temporário, mas isso vai ser discutido depois do registro da candidatura.

iG - E a briga interna no PT? A história de que teria vazado informações?

Dutra - Isso é conversa. As pessoas (da coordenação do PT) tomaram conhecimento da história quando foram questionadas pela imprensa. O partido foi procurado pela imprensa sobre o caso, ficou sabendo assim.

iG - A interpelação contra o pré-candidato tucano José Serra será mantida?

Dutra - Sim. Nesta segunda-feira entraremos na Justiça em São Paulo. Ele fez a acusação, então ele terá que confirmar a acusação que fez a Dilma Rousseff.

    Leia tudo sobre: José Eduardo DutraDilma Rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG