Roseana nega ligação com médica acusada de compra de votos

Governadora e candidata à reeleição afirma acusada não tinha autorização para falar em nome de sua coligação

Wilson Lima, iG Maranhão |

A governadora do Maranhão e candidata a reeleição, Roseana Sarney (PMDB), afirmou que a médica Silvana Teixeira, presa ontem em flagrante pela Polícia Federal (PF) acusada de comprar votos, não tem qualquer vínculo com a coligação “O Maranhão não pode parar”, encabeçada por ela.

A governadora rechaçou “de forma veemente” as ligações entre a sua candidatura ao episódio. A governadora alegou que a médica não integra o Comitê da Campanha da coligação “O Maranhão não pode parar”, nem que ela estaria autorizada a proceder em nome da candidatura pemedebista ou de outros candidatos da coligação.

Ainda através de sua assessoria, Roseana afirmou “toda a orientação de sua campanha é pautada no respeito à Legislação Eleitoral, e que a ninguém é dado o direito de ignorar as regras das eleições”. Ontem, os advogados da coligação “O Maranhão não pode parar” já haviam negado envolvimento de Roseana Sarney no episódio e o advogado de Silvana Teixeira confirmou que ela estava realizando consultas na hora da operação da PF, mas que o trabalho da médica era uma ação beneficente, sem vínculos com partidos ou candidatos.

Ontem, Silvana Teixeira foi presa em uma residência no bairro Recanto dos Vinhais, em São Luís, realizando consultas médicas para a comunidade. Na casa, foram encontrados santinhos de Roseana, de dois candidatos à Assembléia Legislativa e um à Câmara Federal e remédios de uso exclusivo em hospitais. Além de Silvana, a proprietária da residência, uma líder comunitária chamada Maria de Jesus e uma paciente foram presas. Hoje de madrugada, elas foram liberadas após pagar uma fiança de R$ 3,5 mil.

    Leia tudo sobre: eleições maroseanadenúncias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG