Roberto Jefferson critica Serra, mas garante apoio

Para presidente do PTB, candidato tucano errou ao bater de frente com "Deus mercado". Bancadas do PTB preferem Dilma

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, fez nesta segunda-feira críticas à postura do candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, José Serra, nas últimas semanas. Ele, no entanto, garantiu o apoio formal ao tucano, apesar de as bancadas no Congresso preferirem a aliança com Dilma Rousseff (PT).

“As manchetes têm sido azedas para o Serra desde que ele peitou o Deus mercado. O [Fernando] Collor acabou quando enfrentou. O Ciro [Gomes] foi engolido. Não é o Serra que vai se salvar. Ele não está acima disso. Ele errou desde que teve aquela colocação com Miriam Leitão, contra o Deus mercado”, disse Jefferson.

O presidente do PTB referiu-se à entrevista à rádio CBN no dia 10 de maio. Na ocasição, durante resposta à jornalista Míriam Leitão, Serra disse que o “Banco Central não é a Santa Sé”. “Depois disso, as manchetes nacionais passaram a ser a favorável à Dilma e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, comentou, ao explicar o crescimento da petista nas últimas pesquisas.

Apesar da crítica a Serra, Jefferson garantiu que o PTB vai se aliar formalmente com o PSDB, o que garantirá cerca de 50 segundos diários a mais no programa eleitoral na TV do candidato tucano. A convenção do PTB foi marcada para o dia 18 de junho, em São Paulo. O local foi escolhido para não constranger o senador Gim Argello (DF), líder do PTB no Senado

Junto com o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), Argello é o principal defensor da aliança com Dilma e seria obrigado a defender o nome de Dilma na convenção se o encontro fosse realizado em Brasília, seu colégio eleitoral. “Foi uma gentileza que o presidente Roberto Jefferson me fez. Não queremos produzir um racha no partido”, disse Argello.

De lados opostos na disputa nacional, Jovair, Argello e Jefferson já fecharam um acordo para não ter disputa na convenção. O PTB apoiará Serra, mas os deputados e senadores ficarão livre para apoiar quem quiserem nos Estados. “Vai ter Estado que podemos ficar até com a Marina Silva [PV]”, disse Jovair, que, em Goiás, apoiará Marconi Perillo (PSDB) para governador.

Segundo Argello contou ao iG, Jefferson mostrou que a maioria dos diretórios do PTB é a favor da coligação com Serra, por isso não adiantava ter disputa. “O PTB é maior que esta eleição. Temos de fazer uma boa bancada de deputados e senadores”, disse o senador. Jefferson calcula que a bancada na Câmara subirá de 23 para até 35 deputados.

Além de Argello e Jovair, o senador Fernando Collor (PTB-AL) é outro nome do partido que apoia a aliança com Dilma. Ele decidiu ser candidato ao governo de Alagoas, o que atrapalhou a formação de um palanque único no Estado. Até então, a base governista teria apenas Ronaldo Lessa (PDT) como candidato ao governo alagoano.

    Leia tudo sobre: JeffersonSerracritica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG