Receita diz que 2591 pessoas tiveram dados acessados em Mauá

Corregedor-geral afirma que investigações continuam e descarta que sigilo de Eduardo Jorge tenha sido quebrado em Minas Gerais

Danilo Fariello, iG Brasília |

Segundo a corregedoria da Receita Federal, 2591 pessoas tiveram seus dados cadastrais e fiscais acessados pela agência de Mauá (SP) em condições suspeiras. Foi de lá que surgiram as investigações sobre quebra de sigilo de Eduardo Jorge Caldas Pereira, vice-presidente do PSDB.

O corregedor-geral, Antonio Carlos Costa D’Ávila afirmou que, na verdade, foram 2949 os acessos a partir da senha de Adeildda Ferreira Leão dos Santos entre 1º de agosto e 8 de dezembro de 2009, mas parte desses é de moradores da região de Mauá;

O corregedor conta que ainda continuam as investigações sobre a motivação dos acessos, em investigação conjunta de Ministério Público e Polícia Federal. A princípio, porém, o elevado volume de CPFs acessados em Mauá reforça a tese inicial defendida pelo secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo , de que existiria um “balcão de compra e venda” de dados sigilosos.

Segundo nota lida por D’Ávila, 2591 é o número de pessoas que, segundo indícios, tiveram “acesso motivado” a suas informações pessoais, porque não têm domicílio fiscal perto de Mauá. Os que moram por lá podem ter ido à agência e solicitado os dados pessoais.

Na nota lida por D’Ávila a jornalistas, consta que, na agência de Formiga (MG), só foram acessados dados cadastrais do tucano, sem que fossem levantados os dados fiscais, com o conteúdo das declarações e, portanto, sob sigilo.

Segundo nota da superintendência da Receita em São Paulo, Adeildda foi desligada da Receita. Ela retornará ao quadro do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), de onde é concursada. Se confirmada infração de Adeildda no processo administrativo em vigor, ela poderá ser desligada do funcionalismo público.

D’Ávila não respondeu a perguntas de jornalistas após ler a nota, na portaria do Ministério da Fazenda.

    Leia tudo sobre: eduardo jorgereceita federalsigilo fiscalpsdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG